Refis para o Congresso?

Creio que não basta um grande escândalo para tirar o brasileiro do seu habitual marasmo. O povo fica achando que é possível viver em ilha de prosperidade em mar de merda. Assistimos o foro privilegiado e a imunidade parlamentar se transformar em salvo conduto para parlamentares e “autoridades” cometerem graves crimes.

Enfim, somos um povo pacifico que por essa razão acaba sendo permanentemente espoliado por seus dirigentes. Notem que sempre acabam achando um jeito pelo qual alguma classe, ou representação social apoia. Estou falando do refis, e da boa intenção do governo em atender uma reivindicação do empresariado que, devido a prolongada crise, vem pedindo um o alongamento das suas dividas junto ao governo.

Refis, a bem da verdade, é um instrumento que permite o mau pagador sobreviver em detrimento do bom pagador. Aliás, a alegação dos 5 únicos permissionários do lucrativo sistema bancário brasileiro. Banco do Brasil, Caixa Econômica, Bradesco, Itaú e Santander, é que o dinheiro no Brasil é asquerosamente caro, porque a inadimplência é enorme.

Sem fugir do tema refis, notem que sempre todos tem uma desculpa para enganar o povo acomodado. Aquele mesmo povo que acha ser possível viver em ilha de prosperidade em mar (agora) revolto de merda. Como já tive essa sina, a de ser empresário, estou confortável para chamar os ex-colegas pelo seu verdadeiro nome. Os Patos. Os patos foram ao Presidente Temer contar das dificuldades que estão passando, afinal não precisa fazer “pove ponte” como diz o Pinóquio da Silva, para saber que com 14 milhões de desempregados o país de fato esta em crise.

Ocorre que ao mandar para o Congresso o projeto de um novo refis, o governo não sabia quanto os senhores parlamentares, aqueles que trabalham de terça a quinta, devem para o Brasil quebrado. OS SENHORES CONGRESSISTAS DEVEM PARA A VIÚVA NADA MAIS NADA MENOS QUE 3 BILHÕES DE REAIS. PQP vão sugar o sangue do povo assim lá na casa da Gení. Aquela a quem todos jogavam merda. Gente desculpe o desabafo, mas não é possível comentar a ações dos marginais congressistas, sem um palavrãozinho.

Não dá, sem palavrão não desabafa. Vocês sabem que os marginais criaram tantas emendas para livrar as suas próprias caras, ou suas porcas, caras? Pois é, quando os patos, descobriram. Não querem mais o refis, preferem ficar com os seus problemas para não beneficiar NOVAMENTE os mau-caráter homiziados no congresso nacional.

Como diria o Boris Casoy, UMA VERGONHA. Assim meus amigos, os patos mais uma vez vão arcar com os custos de ser empresário no Brasil. Qua qua qua. Não é riso, é o comentário de um ex-pato.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.