Robert, O Fraterno Copo

Eu tenho uma memória muito ruim, em geral. Não lembro de datas de aniversários, letras de músicas, números de telefone nem nomes e rostos de pessoas. Isso me deixa um pouco frustrado, mas é simplesmente como funciona. E algumas pessoas se irritam comigo por causa disso: daí ser comum que eu vire pra qualquer um que seja relativamente próximo a mim para perguntar (de forma sincera) se ela sabe se eu tenho alguma coisa marcada pra hoje com alguém. Algumas pessoas se magoaram, também. Poucas, é verdade, mas ainda assim é horrível saber e lembrar (e nessas horas a memória funciona mais do que bem) que se magoou alguém. Esqueci de ter compartilhado momentos que outras pessoas consideraram muito relevantes em nossa relação de amizade, por exemplo. Mas eu juro por dez mortes minhas que não fiz por mal.

Bem, ademais, o hipocampo tem a maldita capacidade de invocar memórias felizes e memórias infelizes, quando se menos espera. Infelizes aquelas em que você disse ou fez aquilo, ou deixou de fazer ou dizer aquilo outro. Infelizes aquelas de solidão indivisível em algum lugar isolado, ou mesmo cercado de gente. Infelizes aquelas que fazem com que queiramos voltar no tempo para mudar alguma coisa.

Mas as felizes são muito piores. Também nos fazem querer voltar, mas simplesmente para reviver, ad eternum, aquelas mesmas horas, minutos ou segundos, exatamente da maneira como foram. Olhar para as mesmas coisas e sentir os mesmos cheiros.

(Neste exato momento, enquanto escrevia, quebrei um caralho de um copo de vidro, empurrando o notebook para trás. Xinguei bem alto enquanto recolhia os cacos e terminei rindo ainda mais alto da minha própria irritação com uma coisa tão idiota e de pouca relevância)

Bah, não consigo nem ficar preocupado com a prova de amanhã, para a qual não estudei nem um mísero segundo. Alegria tosca e auto-censura se engalfinham para decidir o que, de fato estou sentindo no momento. E acabei de perceber que o copo me fez mudar de assunto. Acho que fico grato. Vou dar-lhe um nome e lhe fazer um enterro em algum lugar, com direito a plaquinha e tudo.

Robert, a forma cilíndrica de vidro tampada de um dos lados: que sua alma descanse em paz.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated SoundlessRain’s story.