O Futuro é Tech

Minha rotina diária é parecida com a de muitas pessoas. Levantar, pegar um café e ler notícias para começar o dia. Eu particularmente gosto de ouvir música de vez em quando, e para isso eu coloco no meu programa de rádio matinal favorito: O Breakfast Show With Nick Grimshaw. Exceto que esse programa não vai ao ar aqui, e nem está no ar na hora que eu levanto.

O Breakfast Show é o programa flaghship da BBC Radio 1, a estação jovem da BBC no Reino Unido, e vai ao ar a partir das 6:30 da manhã no horário local. Aqui no Brasil, ainda serão 3:30 da manhã quando esse programa começar. E convenhamos que dificilmente você destruiria seu sono para ouvir um programa todos os dias. Em outros tempos, seria bem inviável eu sequer conhecer esse programa. Hoje em dia, no entanto, vivemos no futuro e, portanto, eu não apenas posso acompanhar o programa como também posso ouvi-lo quando eu quiser, no meu horário, do início ao fim, como se estivesse o ouvindo em tempo real. Não é fantástico?

Isso tudo só foi possível porque a BBC abraçou a tecnologia lá nos anos 2000 e se permitiu ver além. Muito antes do Netflix mudar a maneira como assistimos TV e lidamos com conteúdo sob demanda, os britânicos já estavam alguns passos adiantados na era do streaming. Isso que é fazer seus impostos valerem a pena.

Ao abraçar a tecnologia, a BBC foi capaz de evoluir a TV e o rádio em um tempo em que o futuro ainda era muito nebuloso, em que a ideia de se juntar internet e outras mídias ainda parecia um conceito muito abstrato. O rádio se tornou muito mais acessível, dinâmico e rico. Hoje, se entrar no site das rádios da BBC você pode ouvi-las em tempo real, ouvir programas antigos, descobrir novos, acessar todas as músicas tocadas em um determinado programa, exportá-las para outros serviços de música, e assim por diante. O app para smartphones é um dos mais bonitos e práticos que eu já vi até hoje, permitindo acesso rápido a tudo relacionado as rádios da BBC. O aplicativo do iPlayer Radio é de graça e disponível internacionalmente, quebrando a barreira física do alcance das ondas de rádio. Até hoje não encontrei nenhuma emissora que tivesse um mesmo nível de praticidade e modernidade a altura.

O site das rádios da BBC
Perdeu o nome de uma música? A BBC tem uma ferramenta pra você descobrir qual era.

A parte relacionada a TV do iPlayer é restrita para residentes do Reino Unido por questões legais, como direitos autorais de programas e a licença de televisão que eles tem que pagar anualmente, mas seu conteúdo e praticidade são bem conhecidas mundialmente. Você pode assistir aos canais da BBC ao vivo pela internet, recomeçar um programa ao vivo, ver episódios antigos e relacionados. E claro, tudo isso do smartphone, do tablet, do seu videogame. É um dos aplicativos que mais possui suporte a plataformas diversas na indústria. Não foi a toa que um episódio da terceira temporada de Sherlock foi visto mais de 3.4 milhões de vezes apenas através do serviço, segundo reportado pelo Daily Telegraph. A BBC não esconde o iPlayer, e sim o contrário: ela a torna parte integral da emissora.

No app do iPlayer Radio você pode ouvir as estações, ver quanto tempo falta para o programa atual acabar e ouvir outros.

Por ter abraçado a tecnologia nos anos 2000 e a incorporado por completo, a BBC se tornou uma das referências neste mundo cada vez mais digital em que vivemos. E ao passo em que o consumidor mudou seus hábitos, a BBC já estava pronta para o que viria, enquanto outras empresas ainda parecem tentar entender o que fazer. A lição que se deve tirar aqui é “abrace a tecnologia”. O futuro é tech. Observe ao redor e veja quantas coisas são feitas através do celular: pagar contas, acessar contatos, procurar locais, acessar informações, controlar sua casa, fazer compras. Estamos nos tornando cada vez mais digitais.

Há inúmeras áreas em que a resistência a tecnologia ainda persiste. Rádio, TV, jornalismo, bancos, burocracia, política, organizações. São tantas as possibilidades que morrem devido a equívocos, preguiça ou burocracia que chega a ser deprimente. Se você parar pra pensar um pouquinho, certamente vai encontrar algumas. O medo de mudar é uma das grandes muralhas que impedem a adoção de novas tecnologias, e os benefícios que ela pode trazer.

Encerro esse texto lhe propondo esta reflexão. O que faz você resistir a tecnologia? Falta de conhecimento? Medo? Preguiça? Pense o quanto você poderia atingir, as oportunidades que poderiam se abrir, o quanto seu trabalho poderia mudar para melhor. Você pode ser a próxima BBC na era do streaming, pronta para o momento. Ou pode perder uma boa oportunidade de crescer.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.