Você sabia que a sua impressora pode comprometer a segurança da sua empresa? Fique atento e saiba como se proteger

É um fato: computadores e dispositivos móveis estão sujeitos a vários tipos de ataques cibernéticos. Não é à toa que, dentro dessa realidade, as empresas investem em inúmeros sistemas de segurança para proteger essas ferramentas tão cruciais para o nosso dia a dia. O que ainda pode ser uma novidade para muitos é que impressoras desprotegidas também podem sofrer esse risco.

Impressoras e multifuncionais são muito parecidas com PCs, já que possuem memória, processador, sistema operacional, rodam aplicativos e até acessam a internet. Por esse motivo, em caso de vulnerabilidade, hackers e programas maliciosos podem comprometer não apenas o aparelho, mas a rede de dados da empresa, viabilizando o acesso a informações confidenciais.

Para se proteger desses ciberataques e estar sempre adiantado diante de quaisquer riscos, é preciso considerar equipamentos que possuam proteção na camada de hardware e software, ou seja, com níveis de proteção que não permitam modificação na BIOS, nem rodar aplicativos não assinados pelo fabricante. Além disso, é necessário haver a capacidade de monitorar constantemente o aparelho para verificar qualquer anomalia ou tentativa de acesso não autorizado. Essas e outras funcionalidades já estão presentes nas impressoras e multifuncionais HP desde a fábrica.

Para entender melhor sobre as implicações de segurança desses dispositivos, conversamos com Antônio Lira, arquiteto de soluções da HP, que deu um panorama sobre as providências que as empresas podem tomar para proteger a sua rede e seus dados.

Como acontece a violação de dados a partir de um dispositivo que, aparentemente, possui interface e navegação tão limitadas como a impressora?

Antônio Lira: Apesar de não possuir navegação tão completa como a de computadores, as impressoras e multifuncionais têm características muito parecidas, uma vez que evoluíram e agora contêm sistema operacional, têm aplicativos e estão conectadas à rede corporativa que, por sua vez, tem acesso ao servidor de e-mail, banco de dados, servidor de domínio e outros campos críticos. Isso significa que, se algum aplicativo malicioso estiver ativo na impressora, a segurança de toda a empresa pode estar comprometida.

Quais são as principais brechas de segurança cibernética nas empresas?

Antônio Lira: As brechas podem acontecer nos equipamentos e softwares desatualizados, portas de acesso ao equipamento desbloqueadas, como USB ou HD, e também por meio de erros humanos, ou seja, cliques em links que não deveriam ser acessados ou a abertura de e-mails com anexo suspeito, por exemplo.

Na internet, as ameaças cibernéticas se renovam na mesma velocidade que a enorme quantidade de informação. Como as empresas podem se proteger desses potenciais novos problemas?

Antônio Lira: A preocupação da segurança da informação deve ser uma das prioridades dos Diretores de TI e Diretores de Segurança da Informação, pois as empresas precisam investir e procurar soluções em todas as suas áreas de tecnologia e comunicação. Aqui, estamos falando desde o acesso às informações da empresa que precisam de permissões controladas e identificadas, até a manutenção recorrente das atualizações de equipamentos e softwares para que tenham as últimas proteções contra vulnerabilidades. As impressoras e multifuncionais da HP possuem um firmware chamado HP FutureSmart, que permite adicionar novos recursos e atualizações de segurança sempre que uma nova ameaça é descoberta.

Essas invasões na rede a partir de dispositivos que não são PCs são frequentes?

Antônio Lira: Muitos dispositivos que foram criados para facilitar a comunicação que chamamos de “internet das coisas” são pontos mais vulneráveis ou com baixo nível de defesas contra hackers, já que estão sempre conectados e acessam a rede ou internet. Por isso a preocupação da HP em ter as impressoras e multifuncionais mais seguras do mundo: para que não tenhamos portas de entrada desprotegidas para a rede do cliente.

Além de equipamentos seguros, de que outras formas as empresas podem tomar providências para proteger seus dados e informações?

Antônio Lira: É necessário que a empresa defina uma política de segurança e utilize ferramentas para supervisionar se esta está sendo aplicada nos dispositivos de rede. Ainda, a HP possui uma solução chamada HP JetAdvantage Security Manager, que permite definir uma política de segurança para impressoras e até mesmo monitorar se o equipamento está atendendo a essas configurações estabelecidas.

Acompanhe a HP Brasil nas redes e proteja os seus negócios!