XVIII

Meus cabelos cresceram,
A barba salpica por todos os lados.
Meu olhar ainda é o mesmo,
Minha dignidade aumentou.
Fui preso.
Sou preso,
Porque sou bandido.
Sou bandido pois sou poeta,
E os policiais que me surraram
Deixaram bem claro o motivo:
"Você está roubando a magia inexistente
do mundo e trazendo para a realidade"
Porra! policial esperto.


Publicado em 31 de agosto de 2011, no finado Facebook.

Gostou? Coraçãonize, compartilhe, siga a tag HermesVeras, sobreviva. Poesia, para mim, é religião, filosofia e vida. Espero que para vocês também.

Like what you read? Give Hermes a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.