Comportamento

Baixar a guarda
Aceitar o soco
Deixar que ele machuque
Sentir toda a dor
Que vem de fora
Toda a dor da minha espécie
Que não sabe se comunicar
Que não sabe se entender
Trazer a mim
Um pedaço desse insulto
Uma insignificante dor a menos
Para quem sofre
Toda a incompreensão
Toda a ignorância
Toda a estupidez
Queime em mim um pedaço da ofensa
Cresça em mim o respeito
Pela dor que não é minha
Que apenas doa
Sem eu tentar compreender
Que minha lógica não seja mais uma bala
Que minha razão não se intrometa
Na emoção que não sinto
Que seja a dor profunda
Ao ponto de me fazer chorar
Que as lágrimas lavem meus olhos
Para que eles enxerguem com clareza
O sofrimento dos meus iguais
Que doa minha pele
Porque toda dor que sinto é interna
E não sei como é ser agredido pelo meio
Que doa tanto que seja sincero
Quando digo que sinto muito
Que eu aprenda a compaixão
Que eu seja enfermeiro
Nessas batalhas que não luto
Que eu baixe a guarda
Que eu aceite a surra
Que eu morda a língua e fique em silêncio
Sempre que pensar em dizer
No ouvido de quem sofre
Que está tudo bem