Mas o que são os óleos essenciais e para que servem?

A natureza é algo que nos faz refletir diante tanta perfeição e suas peculiaridades. Somos seres envolvidos e reagentes de respostas a tudo que diretamente ou indiretamente se faz presente na composição das nossas vidas.

A história do uso dos óleos essenciais vem de um longo período, lá dos nossos ancestrais, onde folhas de árvores eram colocadas em fogueiras e que produziam efeitos interessantes como efeitos de sonolência, estímulos dos sentidos e curas medicinais.

A Aromaterapia, uma técnica que nasceu na França, no início da década do século passado, utiliza dos óleos essenciais e de todas as suas propriedades os benefício naturais que as plantas aromáticas produzem naturalmente através das suas células presentes nas folhas e flores. Quando estas plantas passam por um processo chamado destilação, estas essências passam por mudanças químicas e se transformam em óleos essenciais e seu composto apresenta propriedades vitais agentes em benefícios para o bem estar seja através de massagem, inalação, ou tratamentos estéticos.

Na década de 20, um químico francês, René Gatteffossé vivenciou em uma das suas experiências, a eficácia milagrosa do óleo essencial da lavanda. Quando em um acidente experimental, ocorreu uma queimadura no braço e seu instinto foi imediatamente mergulha-lo em um recipiente cheio de óleo de lavanda. Resultado final, ele percebeu o alívio imediato da dor e a regeneração dos tecidos em um tempo curto.

E viva Gatteffossé!

De lá pra cá, outros estudiosos se dedicaram a muitos estudos e grandes descobertas contribuíram e contribuem até hoje para grandes avanços de curas de diversos óleos essenciais, sejam elas associadas a mente, físico e emocional.

Fontes:

Ferrer-Halls,Gill. A Bíblia da Aromaterapia: o guia definitivo para o uso terapêutico dos óleos essenciais; tradução Denise de Carvalho Rocha — São Paulo: Pensamento, 2015.

http://www.ibraromatologia.com.br/aromatologia.asp?pagina=aromatologia&pag=aromatologia.