Autobiografia não-autorizada.

Esse é meu primeiro texto no medium,achei justo falar sobre mim nele(wow so narcissist). 
Mas relaxa que depois vão ter uns muito mais legais,juro.
Pra começar eu queria falar sobre o quão mal eu faço pintura.
Não,não a faculdade de pintura da EBA-UFRJ,pintura mesmo sabe,pegar papel,lápis e guache de criança pra pintar.
Devido aos meus pais que não me apoiam muito nesse lance de arte e tudo mais e….
Droga,esse é o assunto de outro texto.
Ok,dá pra continuar sem problemas.
Eu tenho um amigo,por quem eu sou apaixonada.
Na verdade eu sou apaixonada por um monte de gente,mas já já eu chego nessa parte.
Eu queria muito chamar ele pra sair,ir pra um parque ou sei lá,só pra ficar desenhando junto com ele.
Particularmente ele manda muito bem,e é um belo de um cool kid.
Sai pra umas festas no centro da cidade onde só toca indie,usa uns óculos maneiros,vive na travessa das belas artes com os amigos dele.
Ele já até me chamou pra um show da banda dele,mas gente show em dia domingo não dá.
E o círculo social dele é esteticamente muito cool.
Tem uma galera amiga dele que eu stalkeio pra me sentir bem,porque geralmente é um casalzinho muito cool,ou umas pessoas muito bonitas com um gosto musical ótimo.
As vezes os dois.
Certo dia me peguei pensando o quão fofo seria se a gente formasse um casalzinho,por conta de uns mesmos interesses e o mesmo jeito de se vestir.
Mas nesse último fim de semana ele pediu a atual-quase-namorada dele em casamento,no lançamento da Medroso Records.
Love it’s over.
Brincadeira,não levo meus sentimentos tão a sério a ponto de achar que eles vão ser correspondidos.
Mas ainda quero chamar ele pra dar rolê e mandar vários desenhos,quem sabe até role uma collab entre o príncipe dos desenhos rabiscados e a princesinha da aquarela unaesthetic.
Atualmente estou apaixonada por um garoto que nem chega a visualizar as minhas mensagens.
E não é porquê ele é um babaca,sério,ele só não tem o costume de gente falando com ele.
Igual a senhorita que vos fala.
Pode rir dessa parte,eu não vou ficar mal com isso.
Eu tenho um histórico de amores não correspondidos bem grande,talvez eu faça uns contos sobre eles,mas com uma pegada engraçada que eles na realidade não tiveram.
Lembra que eu disse que era apaixonada por um monte de gente?
Isso inclui 80% das pessoas que eu tenho no meu facebook.
Que inclui um youtuber que quase-ninguém-conhece,só a minha rodinha de amigos,e que eu acho muito gatinho.
E umas três ou quatro ilustradoras que consequentemente são donas das minhas páginas favoritas.
Aliás cheguei a estudar animação com uma delas.
Ah sim,eu estudei animação esse ano,e provavelmente vou continuar estudando no ano que vem.
Era pra eu estar em produção,junto com o meu pseudo estúdio indie de animação,mas todo mundo tem muita preguiça e pouco tempo.
E umas três pessoas precisam de um computador novo,incluindo eu.
Eu gosto muito de memes de cachorro,acho uma gracinha.
Aliás acho que meme de cachorro deve ser o requisito principal pra eu entrar em um relacionamento.
Deve ser por isso que eu tô sozinha até hoje.
Pode rir de novo dessa parte,eu não me importo.
Adoro fazer todo mundo rir,por isso quase sempre faço uma voz engraçada pra falar com as pessoas.
Eu disse pra minha mãe que talvez eu fizesse teatro pra poder fazer comédia.
Ela respondeu que não sabia qual das minhas três carreiras era pior:
Ser comediante,animadora 2D ou professora de artes/designer.
Mas ela ainda me ama,eu acho.
Oh,chegamos no assunto da minha vida acadêmica,que coisa.
Atualmente eu estou no segundo ano do ensino médio,quase reprovando.
Isso aí mesmo,quase reprovando.
No segundo ano.
Se vocês soubessem a minha idade nem ligariam tanto pra isso,já que não faz diferença.
Mas é legal falar que eu só tive colegas de sala até o 9° ano.
Não que tenha sido ruim pro meu desempenho escolar não ter ninguém pra conversar.
Mas meu psicológico ficou 100% pistola e esse ano resolveu jogar tudo pro alto.
Então meu círculo de amigos se resume em gente que eu conheci na internet e gente que eu conheci no ônibus ouvindo Pink Floyd.
Também teve gente de um grupo pacífico pra curtir Naruto.
Não sei se vale citar aqui que eu só dei mancada desde que fiz 12 anos.
Tipo me afastar muito dos meus familiares por nada.
Namoral,pré-adolescente é muito chato.
Aí agora eu preciso deles por perto,devido as crises de ansiedade e cadê?Não tem,porque na época que era pra eu ter estreitado os laços eu desatei foram os nós que me prendiam a eles.
Tive um cachorro,que tive que doar por ele não caber no apartamento.
Na época que peguei ele eu morava em casa com quintal grande.
Sinto saudades do quintal grande.
Agora eu tenho outro cachorro,de porte bem menor,que só faz comer e dormir.
Não muito diferente de mim.
Pelo menos ele deixa os meus dias menos tristes.

Droga,isso não tá parecendo uma autobiografia.
Os médicos disseram pra minha mãe que eu ia nascer menino.
Até aí tudo bem se não tivessem dito pra ela na hora do parto que eu era uma menininha.
O que fez minha madrinha ir até o centro do Rio de Janeiro só pra comprar uma roupinha rosa pra eu sair do hospital.
Disseram pros meus pais que eu tinha olhos verdes também.
Era mentira,ou seja,já nasci fazendo piada ruim.
Com os meus pais.
Eu nasci no dia 27 de Abril de 2001.
Droga,revelei minha idade,mas quem liga.
Era dia da empregada doméstica,do sacerdote e dia mundial do design gráfico.
Não que isso seja relevante pra minha história,só pesquisei datas comemorativas no dia que eu nasci pra colocar aqui e dizer “Ah eu nasci em tal dia,que foi dia de tal coisa e tal coisa”.
Talvez isso seja meio babaca de se fazer,mas faz com que eu me sinta importante.

Nossa isso tá horrível.
Eu definitivamente não tenho foco pra fazer biografia.
Tampouco uma minha.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Lorena Araujo’s story.