Muito além do www: um guia sobre domínio para comunicadores

Trouxemos um guia completo sobre domínio para comunicadores!

Com o enorme alcance que a internet proporciona criou-se a impressão que é muito fácil fazer sucesso e atingir milhares de cliques para um site, blog ou canais sociais. É só criar uma conta no Youtube ou colocar seu site no ar e pronto! Milhares de seguidores, visitas, monetizações de todos os lados, certo? Bom, se você acha isso, posso falar por experiência própria que está enganado, muito enganado.

Ninguém discute que, para se posicionar online o peso do conteúdo conta muito, mas a parte técnica da internet, que muitos de nós jornalistas preferimos fazer vista grossa, pode naufragar um projeto de comunicação bacana.

Na verdade, tomar conhecimento desses aspectos técnicos não é um bicho de sete cabeças, e nós do I’M Press preparamos um serviço bem completo de tudo que você precisa saber sobre o domínio. Ele é o ponto de partida para ter relevância na internet, e também é por onde o Google vai começar a indexar seu conteúdo; você precisa de um domínio para ter um e-mail corporativo, enfim, o domínio é o porto seguro de quem vai empreender na comunicação hoje em dia.

O que é um domínio?

Entenda um domínio como um endereço digital pelo qual o usuário vai te encontrar. Exemplo: www.suaempresa.com.br

O domínio é o endereço digital que o usuário vai te encontrar.

O ponto-chave de se ter um domínio bem estruturado é usá-lo como uma ferramenta de branding. Já parou e se perguntou se um jornalista dá tratamento diferenciado a uma sugestão de pauta que vem do gmail.com ou que vem do suaagencia.com.br? Será que um cliente se sente mais confiante recebendo um plano de mídia e AI quando vem do e-mail @suaagencia.com.br?

Certamente, há uma diferença de tratamento e quando você tem um domínio que resume a sua missão enquanto comunicador, gera maior credibilidade para seu trabalho e aceitação dos stakeholders.

Talvez você não saiba, mas a lei de distribuição de e-mails norte-americana, conhecida como CAN-SPAM, não permite que comunicações em massa ocorram de e-mails gratuitos, exemplo hotmail, gmail, yahoo. Daí vem aquele pensamento: “mas a lei é lá, por aqui estamos de boa”. Entretanto, os filtros de spam são produzidos pelas empresas norte-americanas e portanto estarão condicionados a barrar comunicações que estejam em desacordo com a lei daquele país.

Algumas dicas práticas para escolher um domínio:

1) Pense no público que você quer atingir: é público nacional ou internacional? Ou ainda, é regional? Saiba que hoje em dia não existe apenas o .com e o .com.br

Você pode cadastrar com www.suaempresa.nomedacidade.br, blog.br, art.br ou ainda sem o br Por exemplo, suaempresa.ag, suaempresa.cc suaempresa.network,

2) Observe os domínios já estabelecidos de projetos semelhantes ao seu para verificar uma relação de branding e assim descobrir o que você quer e o que você não quer transmitir. Aproveite para fugir do que está sendo usado demais.

3) Tente não criar um domínio muito grande. Quanto maior mas fácil de errar na hora de digitar, além de consumir muitos caracteres no twitter. Algo em torno de 5 a 15 caracteres seria bom.

4) Mantenha o site de compras de domínio aberto e vá fazendo pesquisas de disponibilidade e preço. Existem vários sites de compras de domínio, mas sempre indicamos para os clientes o www.godaddy.com.br pois lá você já vai poder comprar também seu serviço de hospedagem de confiança. Outras opções www.hostgator.com.br ou www.host1plus.com.br

5) Para fincar a bandeira da sua marca dentro da internet é necessário também estar por dentro das redes sociais. Então na hora de registrar um domínio certifique-se de que o nome está disponível em plataformas como Facebook, Instagram, Youtube.

6) Evite ao máximo usar hífens e números, pois eles podem dificultar a memorização do site e gerar erros de digitação.

7) Não compre o primeiro domínio que se encaixar nessa lista. Junte umas 4 ou 5 opções e faça uma pesquisa de opinião: fale com os amigos, tente envolver alguém de design gráfico para te oferecer insights de cores e potenciais logos.

Bom, agora que já entendemos os “tecnologimos” vamos encarar o impacto financeiro e o processo prático de se ter um domínio e um e-mail corporativo.

1) Preço do domínio:

Um domínio pode custar uma fortuna, mas o preço médio para um domíno é R$ 35,00/por ano*. Quanto menos popular for a extensão mais barato vai custar o seu domínio. Portanto, se você conseguir, fugir do “.com.br” conseguirá comprar domínios por até R$ 8,00/ano*

2) Privacidade:

Sempre que você registra um domínio, os regulamentos exigem seu nome, endereço, email e telefone sejam publicados num diretório público. Mas você pode pagar um serviço adicional que custa em torno de R$ 30,00/ano* para proteger sua privacidade. Vantagens? Proteção contra spam e contra ligações comerciais indesejadas.

3) Hospedagem:

É imprescindível você ter uma hospedagem nesse momento pois o domínio precisa apontar pra algum lugar. Uma relação simples: o domínio é o endereço e a hospedagem é a sua casa virtual. É nessa casa virtual que você vai armazenar outros detalhes fundamentais para sua vida online acontecer.

Uma hospedagem de qualidade tem que te dar 3 alicerces: um serviço de IP fixo, DNS reverso e configuração SSL. O preço médio de uma hospedagem desse tipo é R$ 23 reais mensais. Agora vamos desvendar cada um desses alicerces:

O IP Fixo:

Podemos fazer uma paralelo e dizer que o IP Fixo está para o domínio assim como o CPF está para o nosso nome. Assim como existem orgãos tipo Serasa e SPC para proteger o crédito, existem dentro da internet comunidades que monitoram as atividades dos IP’s. É da conclusão dessas comunidades que surgem as blacklists.

O grande problema é que muitos serviços de hospedagem cobram super barato pois vão compartilhar um grupo de IP’s entre milhares de domínios. O resultado disso é que se um domínio que você nem conhece realiza práticas ruins que denigrem a reputação desse IP o seu domínio ganhou por tabela má fama na internet.

Portanto, a recomendação é que você não feche negócio com um serviço de hospedagem que não te ofereça IP fixo. Pesquise pois há fornecedores com preço justo para esse formato.

O DNS Reverso:

Como o próprio nome sugere, é o IP fixo apontando para o domínio e o domínio apontando para o IP fixo. Não se trata de um serviço mas uma configuração. Claro que quem não tem IP fixo nunca conseguirá configurar DNS reverso e isso terá consequências no volume de e-mails seus que vão parar no lixo eletrônico.

O SSL:

Sabe quando você tenta entrar num site e aparece aquela mensagem “Esse site não é seguro” e na maioria das vezes você para por ali na navegação? Bom, isso quer dizer que o site não tem um certificado SSL.

Sites sem o certificado SSL são marcados como Não Seguro.

Todos esses casos de ataques cibernéticos que vimos ultimamente, tais como Heartbleed e o Wannacry tiveram sucesso pois o certificado SSL tinha falhas. Trazendo aqui para o nosso mundo, a falta do certificado SSL facilitaria muito que alguém tomasse conta de seu domínio e por exemplo, enviasse e-mail legítimos se passando por você.

Ou ainda, pensando na parte prática do dia a dia: o google tende a não indexar site que não possuem certificado SSL. Abaixo um link do blog deles documentando a importência do SSL.

https://webmasters.googleblog.com/2014/08/https-as-ranking-signal.html

Tem um teste fácil para você saber se seu domínio tem ou não SSL configurado. Abra uma aba de internet e digite www.suaempresa.com.br e provavelmente você irá para seu site. Depois abra uma outra aba e digite HTTPS://suaempresa.com.br (sem o www) e se abrir uma página inexistente ou não segura, quer dizer que você não possui SSL.

Outro impacto que poucos sabem é que quando você solta uma e-mail o servidor que recebe o e-mail faz esse teste que citei acima. Se ele, se depara com uma resposta de página inexistente ou insegura as chances de seu e-mail ir para o lixo eletrônico aumentam muito.

Existe como se ter um certificado gratuito pelo site

Um certificado SSL pode ser pego de forma gratuita, ele é muito complicado; mas basta seguir o passo a passo do site se você quiser se aventurar!

mas ele dá trabalho e vai demandar um especialista.

Um certificado pago custa em torno de R$ 100,00/ano e há serviços de hospedagem ativam por você.

4) Quando preciso lidar com o registro.br?

Existe uma crença que domínio no Brasil somente se pode comprar com o registro.br, entretanto isso não é verdade. O registro.br precisa fazer uma validação de todos os domínios que tenham .br mas muito desse processo já está automatizado e o próprio serviço de hospedagem que você contratar está fazendo a ponte.

5) Criando um e-mail corporativo:

A maioria dos servidores de hospedagem oferecem por cerca de R$ 5,00/mês* uma conta de e-mail corporativo e personalizado, que pode ser sincronizada com o outlook. Muitos dos pacotes de serviço de hospedagem, como esse que sugerimos por R$ 23,00*, já oferecem uma conta de e-mail grátis.

Outra possibilidade é a vinculação do seu e-mail corporativo com a sua conta do gmail, esse serviço sai por volta de R$ 30,00/mês*. O serviço no Brasil está sendo administrado pelo wix então o painel é muito intuitivo e você provavelmente conseguirá criar e configurar sua conta sem ajuda de um técnico.

Então, seguindo essas dicas e investindo até R$ 135,00 por ano e pelo menos R$ 23,00 por mês você tem tudo o que precisa para ter um domínio sólido dentro da internet e ver seu projeto de comunicação decolando. O resultado disso certamente será positivo para você como investidor de comunicação e tornará nosso mercado ainda mais profissional. Contamos com isso, sempre!

Reportagem: Yuri Fonseca