Refinamento dentro do lar

Veja, Eu refinei você, embora não como prata; Eu o provei na fornalha da aflição. Isaías 48:10, NVI

grande necessidade de cultivo do verdadeiro refinamento no lar. O lar cristão é um poderoso testemunho a favor da verdade. A vulgaridade de linguagem e de maneiras, seja em quem for que apareça, indica coração poluído. A verdade de origem celestial jamais degrada o que recebe, jamais o torna grosseiro ou rude. A verdade exerce influência branda e refinadora. Quando recebida no coração, torna o jovem respeitoso e cortês. A cortesia cristã é recebida unicamente sob a operação do Espirito Santo. Ela não consiste em simulação ou polidez artificial, em honras e sorrisos forçados. Essa é a espécie de polidez que os mundanos possuem, mas são destituídos da verdadeira cortesia cristã. A verdadeira cortesia, a polidez verdadeira, é derivada unicamente do conhecimento prático do evangelho de Cristo. A verdadeira polidez, a cortesia verdadeira, é a bondade mostrada a todos, alto ou baixo, rico ou pobre.

A essência da verdadeira cortesia é a consideração para com os outros. A educação essencial e duradoura é a que alarga a simpatia, favorece a afabilidade universal. Aquela pretensa cultura que não torna o jovem atencioso para com seus pais, fazendo-o apreciador de suas boas qualidades, indulgente para com seus defeitos, e útil aos jovens, velhos e infelizes e também cortês para com todos — é um fracasso.

A cortesia cristã é a ligadura dourada que une os membros da família nos laços de amor, tornando-os mais íntimos e fortalecidos cada dia.

As mais valiosas regras para o relacionamento social e familiar podem ser encontrados na Bíblia. Nela encontramos não apenas a mais pura e melhor norma de moralidade, mas também o mais valioso código de civilidade. No Sermão do Monte, feito por nosso Salvador, há instrução de incalculável valor para adultos e jovens. Deveria ser lido sempre em família e seus preciosos ensinamentos exemplificados na vida diária. “ Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, fazei-o vós também a eles” (Mt 7:12). Essa regra de ouro deveria tornar-se lei da família, bem como a ordem apostólica: “Preferindo-vos em honra uns aos outros” (Rm 12:10). Os que estimam o espírito de Cristo manifestarão cortesia no lar, um espírito de benevolência mesmo nas pequenas coisas (O lar adventista, p.422,423).

Esta meditação se encontra no livro A caminho do lar, p 293 escrito por Ellen G. White

Like what you read? Give Igor Catréva a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.