Por que você deveria investir no inglês — e por que idade não importa.

Por que você deveria ir all in e investir no inglês hoje — e por que você não está velho para aprender.

Hey everyone! It’s teacher Mike here! E esse é meu primeiro artigo no Medium.

That's me, by the way.

Eu toquei por muito tempo em uma banda de rock/pop rock e existia uma frase que eu gostava muito que era a seguinte: “If it’s too loud, you are too old” — ou seja, se está muito alto, é você que está muito velho.

Brincadeiras à parte, essa frase tem um fundo de verdade: isso significa que a idade está na sua cabeça — talvez nem esteja tão alto assim, mas você acha que está — e uma vez que você acredita nisso, bom… aí se torna realidade.

Transferindo isso para o mundo do aprendizado do inglês: você tem todas as capacidades objetivas para o sucesso. Você tem um cérebro, olhos, ouvidos, e uma capacidade de aprender que nenhum outro animal tem, você tem a internet e os aplicativos de celular, livros, google translate, dicionários, um acesso a informação mais rápido e eficaz que em qualquer outro tempo na história do mundo!— mas você diz que está “velho”.

Para um bebê é mais fácil? Bom, é. Mas você pode voltar a ser um bebê para aprender? Poisé.

C'mon man! Vivemos numa época em que a maior parte do mundo fala inglês — dos países em que a língua inglesa não é nativa, a maior parte compreende ou fala. As empresas produzem conteúdo em inglês para aumentar seu alcance. Nós — eu e você! — consumimos os filmes de Hollywood, nós gostamos -AMAMOS- as empresas do Silicon Valley — afinal, as redes sociais estão todas lá. Nós importamos palavras do inglês para o português — mouse, laptop, approach.. — nossa vida gira em torno desse idioma, quer você queira ou não.

Ainda que a próxima grande jogada pareça ser o tal do mandarim/chinês, o inglês ainda está em alta. O problema é que muita gente imagina que “já está velho demais” para aprender — mas, se isso é verdade, eu pergunto: quando que “ser velho demais” inicia? E quando que o conhecimento da língua inglesa vai te atrapalhar?

Nunca.

Nunca se é velho demais para um novo conhecimento. Talvez você esteja velho para correr uma maratona? Hm…

Vai lá e diz que você está velho para Harriete — ela correu meia maratona com 94 anos de idade.

Mas nunca o conhecimento de uma língua pode ser deixado de lado por causa de idade. É claro que fica “menos fácil”, mas é possível. E se você tem filhos, pense bem, você vai poder se virar naquele site em inglês sem pedir ajuda, vai poder ver aquele filme sem legenda e entender as piadas que antes não faziam sentido. Aliás, o seu filhão vai dizer "Graças a Deus!" que você já não pentelha mais ele — mas, ei, se você está pentelhando, parabéns, pois significa que você quer aprender.

Você já sabe espanhol ou outra língua, ótimo! É um extra! Mas o inglês não: inglês, hoje em dia, não é um extra, mas um pré-requisito — e você sabe muito bem disso, não adianta inventar desculpas.

Mas vamos ao meu maior ponto: saber falar inglês traz uma confiança enorme. Eu mesmo vejo isso. Eu vejo alunos entrando na sala inseguros de si e envergonhados, e, a cada novo dia em que eles passam por aquela porta para seguir sua vida depois que nossa aula acaba, eu noto que eles aumentaram sua confiança, pelo menos um pouco — talvez tão pouco que eles nem enxergam… But I do.

E essas coisas refletem no dia a dia. Um dia fulano pediu o café fazendo o sinal de 1 e apontando pro cardápio, no outro ele disse: Hi, can I have a cup of coffee, please? Em um dia ele se perdeu e usou o google maps, mas no outro ele perguntou na rua e conheceu alguém novo.

O importante é que, no final das contas, todos esses pequenos passos tornaram-se uma jornada — e a linha de chegada é o domínio da língua. Aprende-se da noite pro dia? Não. Mas o que é que, nessa vida, fazemos da noite pro dia, senão dormir? Estude um pouco todos os dias, e em um ano terão sido 365 lições. Agora, se você adiar para amanhã todos os dias, em um ano, você vai querer ter começado hoje…

What do you think?