Quase matei minha mãe em meu nascimento
Aquele momento é a prova cabal de que nasci para o sofrimento
A felicidade é uma ficção
Tento fugir da matrix, mas me encarceraram numa ilusão
Utopia casar, ter filhos, uma linda família 
Recolho estilhaços do meu coração a cada tentativa 
Pergunto-me onde estou a errar 
As coisas só pioram mesmo quando não deviam piorar 
Não terminei com o mundo estamos dando um tempo 
Soberbos querem transformá-lo, mas não lidam nem com os seus próprios defeitos 
Sou um ancião na casca de um jovem 
Às vezes sou apenas uma criança brincando de ser jovem 
Eu deveria me afastar de quem não me ama 
Sou o diamante que não teve a opção de sair da lama 
Mensuro meus pecados vejo um estranho no espelho 
Nem precisa me falar eu sei que não sou mais o mesmo 
Ou melhor eu sou o que ninguém imaginava 
Este é o verdadeiro eu antes eu só atuava 
Corri atrás da minha maior idade 
Quando eu à alcancei me assustei com a realidade 
Olhei para trás e me arrependi de tudo 
Não que aqueles velhos tinham razão eu não estava preparado para o mundo 
Não vejo lugar para mim eu não me encaixo 
Não é questão de padrão eu já aceitei os padronizados 
Sou um parasita um corpo estranho 
Gostam de me ver para baixo para eles é uma injeção de ânimo 
Por que eles gostam de me ver sozinho? 
Sobraram dedos na contagem de bons amigos 
Olhei no fundo da sua íris estava a me declarar 
Ela tinha 17 anos de idade e mentiu quando disse que sabia o que era amar 
Era o meu primeiro amor, algo inenarrável 
A paixão é tão cômica para alguns até descartável 
Chega de se apegar ninguém é de ninguém 
Quando enjoarem de você vão procurar e achar outro alguém 
Meu coração de mármore não pretende mudar Incapaz de esboçar afeição mudei de forma drástica 
Eu tenho tanto a falar Ou melhor, eu tenho tanto a desabafar 
Se eu mudar por você, você irá me amar? 
Como se eu me importasse acho que não sinto mais nada 
Vamos fugir desta cidade onde tudo é fantasia 
Por favor não me ame 
Não desperdice sua vida 
Meu passado é um fantasma que sempre torna a me assombrar 
Olhei para traz e grite: Bu! E o assombrei de volta 
Sinto minha vida escapando 
Os mais próximos não me enxergam mesmo me observando 
Comprei segundos de felicidade recomponho-me 
Juros abusivos de tristeza decomponho-me 
Acho que eu cobro algo que eu não posso retribuir 
Tentei amar uma vez e acabei frustrado 
Vivo em uma temperatura glacial 
Nada de bom sobrevive ao meu coração gelado Quem Nunca ?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.