Satisfação Total Part. Silvio Santos

Após uma longa discussão sobre futuro com minha mãe, resolvi sair para esfriar a cabeça, estava muito estressado após trabalhar 4 horas redigindo uma redaçao no sofá de minha casa enquanto ouvia um reggae e discutir com minha mãe não era a melhor opção naquele momento. Achei meu chapéu de vô e resolvi que iria sair com ele hoje, vesti um moletom preto, peguei minha mochila, minhas chaves e sai de casa.

Não sabia se ia para a casa de minha avó conversar com ela ou se ia para a casa do Gnu fazer alguma coisa pela cidade. Já na calçada de casa avistei um vizinho meu de 12 anos cujo não lembro de seu nome no momento, tive uma rápida conversa com ele e o chamei para jogar bola algum dia desses na quadra, segui meu caminho. Após chegar na casa do GNU, fomos até a praça das corujas e ficamos um tempo por lá até receber uma mensagem de João dizendo que estava com um amigo chileno fazendo uma sessão de Rap e pronto para gravar. Nos encontramos em um lugar que costumamos chamar de Babilônia e não demorou muito para ele mostrar sua mais nova música recém finalizada para mim e envolver todos na roda com seu Rap bilíngue, pois o Chileno cantava partes em sua língua natal, o espanhol.

Logo me surgiu a ideia de gravar os 2 cantando o rap com o seguinte cenário de fundo: um muro coberto de plantas que na perspectiva da câmera se confundia com uma floresta enorme por trás dos 2 cantores.

Felizes com o resultado que obtivemos com a nossa gravação, o Chileno e o João seguiram seu rumo para casa afim de editar o novo material e desenvolver outros raps e projetos. GNU e eu continuamos nas redondezas andando sem rumo.

Sem pensar muito, fomos parar na Fnac e lá dentro me deparei com o segurança da catraca do colégio dançando JUST DANCE 4 no kinect da Fnac como se estivesse em um show para milhões de pessoas. É óbvio que nessa circunstância eu não podia passar reto, assisti aquela cena e após a performance dele se encerrar fui até ele comprimenta-lo e perguntar o que ele estaria fazendo ali. Ele disse que estava aplicando prova no ENEM e após o fim do expediente foi lá para dançar um pouco e relaxar. Carlos, o segurança, não vai a Fnac apenas para dançar, ele também pediu a mim que gravasse a ele imitando o Silvio Santos e pediu que eu mandasse nos grupos de whatsapp , a vocação dele provavelmente é a fama e não trabalhar como segurança mas isso é história para outra crônica.

Com muita fome e alguns trocados no bolso, saímos da Fnac e fomos procurar um lugar para comer, andando de cabeça baixa me deparei com um Starbucks na esquina de uma rua, como só tinha alguns trocados, apenas me sentei no sofá e não comprei nada. E cá estou eu, trabalhando com o meu celular em uma cafeteria escrevendo sobre como foi meu dia, com um chapéu peculiar e uma calça de moletom sem saber o que irei fazer após terminar de escrever esta crônica.