“_ Nossa! É cada história doida que você devia escrever um livro!”

Eu sei…

Mas saber somente não é o bastante, é preciso escrever…

Às vezes fujo dos meus objetivos, insanamente. Como se eu não quisesse ser quem sou, nem fazer o que nasci para fazer.

Como se eu fosse um pato que quisesse muito ser um gato: Eu nadava e fazia quá quá, mas na hora de botar ovos eu queria caçar ratos ou escalar muros.

Logicamente eu levava muito mais tempo para me equilibrar nos muros ou mesmo pegar um rato (se pegasse), com um esforço tremendo e muito gasto energético.

E ao final vinha a pergunta:

_ Mas e quantos ovos você botou?

Porque afinal de contas caçar ratos ou se equilibrar em muros, por mais difícil que pudesse ser para um pato, não ajudava em nada na real tarefa que precisava ser feita…

“Insanidade é repetir os mesmos atos esperando alcançar resultados diferentes” — Einstein

Aí eu estou mudando, sabe? Estou tentando botar meus ovos, faço quá quá e nado.

Mas as vezes tô eu lá escalando muros ou perseguindo ratos de novo…

Me rebelando contra as penas e meu bico largo… Admirando a cauda e os bigodes felinos…

Like what you read? Give Jéssica Magalhães a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.