Impotência Humana

[…] ela estava chorando em meus braços e eu disse:

— Não fica assim. Pode contar comigo para o que precisar.

Ela entre soluços me respondeu:

— Eu pediria pra você rezar pra ele melhorar, mas você é ateu.

Eu cai, como nunca cai na vida. Eu era a personificação da inutilidade. Não podia ajudar fisicamente e nem espiritualmente, nem mentir eu conseguiria, pois ela sabia que eu em nada acreditava. Pedi desculpas enquanto chorava.