BIDUSÃO POPULISTA? OU LÍDER VISIONÁRIO?

A gente quase oferece o cy para tentar conquistar votos para o tal do Andrade e ele, Andrade, diz em público que, pasmem, o seu partido tem mesmo é que voltar para as bases (“Jura? Ninguém tinha te contado? É uma crítica nova essa? Surpreendente?”) em reposta à declaração de um homem negro rapper extremamente famoso (“Bom, vai ver que ele, Andrade, só aproveitou a oportunidade, só aproveitou a fala anterior para concordar com ela em público, dizendo o que ele, Andrade, realmente pensa, essa pessoa, o Andrade, tão desprovida de voz dentro das instituições e do partido, um homem branco professor da USP e do INSPER, ex-Ministro e ex-Prefeito, tudo via o grupo atualmente hegemônico em seu partido) e ainda arrematou que “Isso que ele esse disse é importante!”. Em suma:

“Tem irmãos e irmãs nossos que estão na periferia revoltados com tudo que está acontecendo e com razão. Temos que, NESTA SEMANA (grifo meu), abraçar essas pessoas, que sempre estiveram conosco”, By ANDRADE

Nesta semana, vamos as bases…. OK. E o resto do tempo? Ficamos, vamos para onde?

Eis aí uma grande oportunidade perdida para um homem branco e uma figura importante do establishment de seu partido não ter falado nada ou simplesmente ter festejado a fala que veio antes – que estava 100% certa, aliás – mudando de assunto em seguida.

Mas, mantida a interpretação de boa-fé, aquela que está entre parênteses, neste texto, se Andrade é mesmo o cara mais avançado do grupo dominante, o grupo que manda em seu partido, se ele pensa exatamente o que disse em sua fala, eu só pergunto o seguinte: onde está o revólver que eu quero me matar, por favor?

Ah, só em Janeiro? Beleza. Espero que NÃO, #elenao, mas se ele vier, ao menos eu me mato com estilo e licitamente.

JOSÉ RODRIGO RODRIGUEZ é Professor da UNISINOS e Pesquisador do CEBRAP.