Design Centrado no ser humano

Inovação é fundamental para a sobrevivência de empresas de todos os tamanhos, todos os setores da economia e qualquer localização geográfica. Ao inovar, as empresas conseguem melhorar a sua relação com as pessoas as quais servem, que podem ser seus clientes, seus acionistas, a comunidade em que está inserida ou até mesmo os seus colaboradores.

Aqui no Laboratório de Criatividade entendemos a Inovação como a transformação de potencial criativo e das ideias em valor. Para nós, a inovação pode acontecer em 03 esferas diferentes:

- Na organizacional, abrange tudo que acontece dentro da empresa (sua gestão, seus processos, seus colaboradores);

- No modelo de negócio;

- Nos produtos & serviços;

- Ou ainda, em mais de uma esfera ao mesmo tempo ou de forma gradativa em todas as esferas.

É crucial que as empresas desenvolvam um olhar crítico e questionador, isso lhes permitirá enxergar novas oportunidades e aumentará a velocidade e a eficácia de suas novas soluções. Além disso, é importante que as empresas entendam que a inovação pode partir de qualquer colaborador e não apenas dos responsáveis por Pesquisa & Desenvolvimento.

Dar voz para os colaboradores, acreditar que grandes ideias e soluções podem surgir deles é um movimento extremamente inteligente e que muitas empresas estão fazendo. Afinal, eles vivem o dia a dia das operações, estão em contato com os clientes e também com os pequenos e grandes problemas.

Escolher o conjunto de ferramentas correto para organizar esse processo de inovação colaborativa, que dá voz aos colaboradores, é fundamental para se obter sucesso.

Hoje vamos falar sobre Human Cetered Design (HCD) ou Design Centrado no ser humano. Ele recebe esse nome pois tem as pessoas para as quais estamos projetando uma solução como ponto de partida.

O HCD trabalha com três grandes lentes:

A primeira delas é a Lente do Desejo: “O que as pessoas desejam?”. Começamos examinando as necessidades, desejos e comportamentos das pessoas para quem estamos inovando. Procuramos ouvir e entender o que querem.

Uma vez que identificamos qual é o Desejo do usuário, começamos a examinar nossas soluções através das lentes da Praticabilidade: “O que é possível técnica e organizacionalmente?” e da Viabilidade: “O que é viável financeiramente?”.

A melhores soluções serão aquelas que se encaixam na zona de intersecção entre as três lentes, sendo Desejáveis, Praticáveis e Viáveis.

O processo começa com um Desafio Estratégico específico e continua por três fases principais: Ouvir, Criar e Implementar.

Ouvir: está é a fase em que são coletadas as informações sobre as pessoas para quem estamos projetando uma solução. É hora de ouvir histórias, fazer pesquisa de campo e se inspirar.

Criar: essa é a fase de identificar oportunidades e gerar ideias, soluções e protótipos a partir do que foi ouvido dos usuários.

Implementar: Essa é a fase em que as soluções são colocadas a prova, testadas e aplicadas na prática.

Como acontece a inovação na sua empresa?

Vocês estão acostumados a ouvir e observar seus clientes?

Vocês envolvem diversos colaboradores no processo de inovação?

Vocês pensam no problema partindo do ponto de vista do cliente?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.