Um caminho cheio de altas confusões*

Eu sei que você leu o título com a voz do narrador da sessão da tarde.

*texto de 2015

As vezes eu me sinto num filme das tardes da globo.
Desde que eu comecei trabalhar lá no TJ eu tenho saído bastante e por isso tenho visto umas coisas bizarras, o mundo é insano.
Então, outro dia estava eu, feliz e faceiro, indo para o trabalho, desço do ônibus na Av. 23 de maio e vou até uma rua que fica do lado dela e dá acesso ao viaduto que tenho que atravessar pra atravessar uma passarela e ir simbora pro prédio, voltando. Eu virei a rua que é separada da avenida apenas por uma grade e tals, começo subir ela mexendo no celular quando de repente chega alguém atrás de mim.
"Passa o celular, vai vai, rápido."
Ai eu, "an?" e olhei pro cara todo sujo, roupas rasgadas e sem entender pq não tinha escutado direito o que ele falou.
"Passa o celular logo maluco!" Ai eu vi, e senti, a faca encostando na minha barriga.
"Calma, calma" Ai eu levantei a mão com o celular e entreguei.
Ai o cara desceu pelo lugar que eu vim, e eu super inteligente fiquei parado olhando o cara correr.
E eu só pensava "filho da puta, filho da puta!"
Mas ai que aconteceu uma coisa insana. 
Um ônibus começou parar no ponto, e desceu um cara correndo com uma arma na mão e RENDEU O CARA E PEGOU O CELULAR DELE e logo depois me entregou. Eu peguei o celular e comecei andar rápido subindo o resto da rua e só pensava.
"O que diabos acabou de acontecer?" feat. "Que sorte é essa?"
Imagina que louco, o cara "Motorista, pare este ônibus, eu tenho que ajudar aquele cara esquisito"
Piadas a parte, eu só tenho que agradecer esse cara. (que eu suspeito que fosse um policial a paisana ou um segurança.)
Bônus: Outro dia antes do fato a cima eu tava quase chegando na passarela que citei lá, quando vejo um carinha pulando a grade que separa a rua da calçada, ele começou andar meio desconfiado perto dos carros e do nada deu um bote num celular de uma mulher que tava num táxi, ai ele pulou a grade e começou correr, eu subi na passarela normalmente quando eu chego do outro lado eu vejo um policial correndo atrás do cara e rendendo ele.

Moral das histórias: karma is a bitch.