Ego

Egocêntrico, vou acabar sozinho

Pois então saiam da minha frente

Eu sigo meu caminho

Copo vazio, Alma vazia

Pois aos poucos matei tudo aquilo que me preenchia

Nesses tempos onde ja que tudo é tempo

Tudo passa

Me encontro na garrafa um detento

E um aspirante a fumaça

Foda mesmo é amanhã cedo

Ter que voltar pra casa

E perceber que mais uma noite que se passa

Eu enchi a cara e só vi merda

E a noite se tornou desgraça

A noite sempre degraça

E no final me diz

“Qual é a graça?”