Liberdade, solidão

Quase antônimos

Estar cercado de pessoas exige laços, e laços não combinam com liberdade. Sentimentos exigem relações e relações implicam em responsabilidades que não se encaixam para aqueles que desejam ser livres.

Eles não são antônimos mas são como irmãos na difícil arte de coexistirem. Irmãos ciumentos um do outro, querendo atenção o tempo todo.

Solidão é um caminho escuro e liberdade é gramado infinito em dia de sol. Porque no pacote da liberdade vem o ônus da solidão? É possível experimentar sensações livres dentro de um círculo de vínculos afetivos? Será que a falta de limites esbarra nos muros dos abraços?

O laço mais forte que existe é aquele simbólico, desconstruído, que liga sem pressão. Não é físico, é muito mais poderoso.

A liberdade está ligada à vontade de ir, vir, fugir, ficar, cair, voar… E a solidão é sombra quando você vai, vem, foge, fica, cai e voa.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.