Como recebi a notícia de Depp em Animais Fantásticos

Tudo o que já foi dito a respeito de Johnny Depp fazer parte da saga Animais Fantásticos e Onde Habitam já foi dito, não tenho nada de novo a acrescentar.

O ator foi escalado antes da acusação de agressão contra sua ex-esposa Amber Heard, e sabemos que os contratos milionários de Hollywood têm multas exorbitantes em caso de quebra. Como cinema é entretenimento e, portanto, dinheiro, nada que os fãs fizessem faria com que ele fosse descartado dos cinco filmes anunciados. Então sinto informar-lhes, mas sim, teremos de aguentar Depp como Grindelwald em todos os filmes até 2024.

O que quero aqui é falar da minha percepção, de como recebi essa notícia.

Sou nova no universo de Harry Potter, assisti aos filmes cerca de um ano e meio atrás e li os livros há quase um ano, mas essa saga se tornou algo realmente importante em minha vida e a amo como se tivesse acompanhado cada lançamento de livro e filme desde criança. Mesmo Animais Fantásticos sendo uma história diferente, ela faz parte do Potteruniverse e eu já a amo sem conhecê-la — até porque o protagonista, Newt Scamander, faz parte de Lufa-Lufa, a minha casa de acordo com o Pottermore e o meu coração.

Mas quem me conhece também sabe o quanto o Johnny Depp era importante para mim. Conheci seu trabalho quando eu tinha seis anos de idade e, desde então, ele se tornou meu maior ídolo de todos. Sua estética, atuação, estilo, absolutamente tudo moldou a minha personalidade. Posso dizer sem medo que ele é o principal responsável por eu ser a Karina que vocês conhecem, em toda a sua estranheza e gostos considerados exóticos. Foram 22 de 28 anos amando, endeusando e defendendo esse cara, mesmo que no fundo eu soubesse que ele havia se tornado um ator de um personagem só e tivesse feito filmes bastante questionáveis nos últimos tempos.

Acontece que uma coisa a Karina de hoje, mais velha e mais consciente da vida não pode tolerar, é agressão contra uma mulher. Seja quem for, não posso ser conivente com isso — e é muito claro que sim, as evidências apontam que o Johnny realmente agrediu a Amber. Há fotos, vídeos e torpedos que comprovam isso, mesmo que a mídia — formada basicamente por homens cisgêneros — tente abafar isso e ficar ao lado de Johnny, um ~cara do bem~, rico e famoso, muito mais que sua ex. Além disso, sabemos que a mulher não costuma ter voz, ainda mais se estiver expondo um homem bem-sucedido, pois ela sempre será considerada a aproveitadora e louca que quer dar o golpe do baú.

Meu coração de fã não pôde se enganar, pois meu cérebro tomou a frente da situação e simplesmente tomou a decisão de não ser mais fã de um homem que faz isso. Sabe como é, a decepção é o pior dos sentimentos, porque ela sempre vem de alguém com quem nos importamos, não nos decepcionamos com pessoas para quem não damos a mínima.

E a decepção foi grande.

A decepção acabou comigo, me fez sofrer e chorar a morte de um ídolo.

E da decepção veio a raiva.

Da raiva, o nojo.

Quando o anúncio da participação de Depp foi feito em Animais Fantásticos e Onde Habitam, meu mundo caiu. Eu havia decidido não mais apoiá-lo em nada, mesmo em sagas que amo (como Piratas do Caribe, por exemplo). E não o farei.

Mas a nova história da J.K. Rowling é muito maior do que ele, muito maior do que a própria autora dizendo se sentir “encantada” com ele no elenco — OK, eu sou adulta e sei como as coisas funcionam, ela não pode falar mal de um ator que está em seus filmes, mas o que acho desnecessário é ela elogiá-lo de forma tão contundente, ainda mais por ela ter sido vítima de violência doméstica no passado.

Não vou deixar de acompanhar Animais Fantásticos e Onde Habitam. É um filme pelo qual estou ansiosa há meses, muito antes de qualquer anúncio de elenco. Vou ver todos os filmes, mas não acompanharei absolutamente nada em que o Depp seja protagonista, porque isso fere os meus princípios.

Se você tomou a decisão de boicotar o filme, está no seu direito, mas eu não o farei.

Acho que ele deve ter acompanhado toda a repercussão negativa quanto a sua escalação no filme e deve ter visto o quanto a sua carreira está em plena decadência, pois mesmo quem o amava e acompanhava, como eu, não o apóia mais.

Que isso sirva de exemplo para outros atores-agressores. No mundo de hoje, nenhum ato sairá impune entre os fãs. Hollywood pode passar a mão em suas cabeças, mas quando perceber que está perdendo dinheiro por boicotes e receber críticas nas redes sociais, a história vai mudar.

    Karina Rodrigues de Moura

    Written by

    Analista de UX, jornalista, nerd, feminista. Futura companion do Doctor. Lufa-Lufa com orgulho. Humana dos gatos Safira, Ramon, Fumaça e Luna.