Está tudo bem você não ir com a cara de alguém

Sejamos sinceros: por mais desconstruídos que a gente seja, por mais sororidade que tentemos ter, sempre vamos implicar com alguém.
Seja porque não fazemos parte do mesmo rolê, seja por achamos a pessoa muito pedante, arrogante, folgada, “bunda-mole”, chata ou até neutra demais, a verdade é que é da natureza do ser humano não se dar bem com todos.

E quer saber de uma coisa? Tudo bem.
A gente não precisa agradar e se dar bem com todo mundo.
Somos diferentes, temos visões de mundo distintas, histórias únicas e processos cognitivos díspares.

Desde que a discordância não seja por conta de discurso de ódio do outro — porque aí é crime e temos todo o direito de não gostarmos e nos ofendermos, e até levarmos para o lado pessoal — , é OK você implicar com alguém porque vocês não costumam convergir em todos os assuntos.

Não se culpe, não se odeie por não ir com a cara de alguém — mesmo que todos gostem daquela pessoa. Você não é obrigado e não deve mudar quem você é somente para aceitar os outros, mesmo que você seja uma feminista e a pessoa, uma mulher.

O mundo não precisa que todos sejam amigos, mas sim de respeito mútuo.

Por isso, sinta-se à vontade para não simpatizar com alguém. Só não seja imbecil.

Karina Rodrigues de Moura

Written by

Analista de UX, jornalista, nerd, feminista. Futura companion do Doctor. Lufa-Lufa com orgulho. Humana dos gatos Safira, Ramon, Fumaça e Luna.