VIDA NO EXTERIOR- Como tudo começou …

Lembro-me como se fosse hoje, quando recebíamos em casa , revistas de uma agência de turismo , com o intuito de venderem pacotes para destinos exóticos como Egito , Tailândia , Ilhas Maldivas ,Índia …Meus olhos brilhavam quando folheava aquelas revistas , todo mês era o momento de viajar para um novo país , mesmo que fosse através da mente .Ali surgiu o interesse de viajar pelo mundo afora , mas era só vontade , pois naquele momento era impossível , não havia recursos financeiros,tampouco idade , eu tinha apenas 10 anos .

Anos depois ,meu primeiro emprego seria em uma companhia aérea ,como auxiliar de aeroporto . Havia benefício viagem e o valor era reduzido , peguei o gosto pela viagem , nas folgas e férias lá estava eu viajando . Nesta empresa fiquei por dois anos e meio , naquela época , houve diminuição do quadro de funcionários e fui mandada embora . Eu tinha planos de morar fora , esperançosa , achei que o dinheiro da rescisão seria o suficiente para fazer o intercâmbio para o Canadá (Era o destino mais em conta ) ,talvez não fosse o momento , já que eu só tinha o dinheiro da rescisão e meus pais não tinham condições para realizar este sonho , mas isso não foi motivo para desistir .

Alguns meses depois , decidi iniciar a graduação em licenciatura no curso de secretariado executivo trilíngue . Já no início do curso , comecei a trabalhar em uma empresa de investimentos , como assistente executiva , no primeiro ano de empresa , ressurgiu a vontade de ir para o exterior , desta vez , o destino seria EUA ,pelo programa Au pair .

O programa exigia muitas horas de experiências com crianças ,não conhecia ninguém que tivesse crianças , fiz uma pesquisa minuciosa sobre ONGs , orfanatos e escolas ,porém os horários não se encaixavam na minha rotina .(Se eu saísse do emprego , comprometeria os meus planos para o futuro, independente de qual rumo tomaria, não poderia sair do emprego , pois não se pode planejar uma viagem sem dinheiro .)

Tudo estava dando errado para dar certo , uma luz no fim do túnel surgiu ,o insight que eu tanto precisava pairou pela minha cabeça ,então , veio a mim a seguinte questão :Meu pai é português , por que não tirar a cidadania e ir para Europa ? Comecei a pesquisar sobre documentos necessários para tirar o passaporte ,destinos , passagens , escolas , pronto, ir para Europa seria o plano …

Depois de planejar , consegui fazer acordo na empresa onde estava (amém ) . Refleti muito antes de trancar o curso e sair do emprego, não estava satisfeita com a vida que levava , precisava de novos desafios , estava indo contra a minha essência , exercendo uma função e fazendo um curso que no fundo , iria de contra a minha verdadeira essência .

Não importa o quanto demore , quando queremos algo , no fundo , nunca desistimos , o sonho nunca morre .Há uma força dentro de nós que nos move ao encontro de nossos ideais , no momento certo , as coisas fluem e acontecem. Foi o que aconteceu comigo , dias de lutas e dias de glória , e quando eu menos esperei , lá estava eu fazendo as minhas malas , despedindo da minha mãe , família e amigos .

No portão de embarque , surgiam turbilhões de emoções , sentimentos, incerteza e por vezes medo. Eu mal havia ido embora e estava com saudades de tudo o que deixava para trás .Na sala de embarque , eu me distanciava do “ velho “ e caminhava rumo ao desconhecido para dentro do avião . Mal sabia eu que as minhas maiores transformações me aguardavam no exterior . Não seria uma viagem apenas de estudo e trabalho ,e sim uma viagem em busca do Self .