Testando: 1, 2, 3…

Desde que descobri que diabos é um Medium resolvi que tentaria escrever, mas pra variar nunca decido um assunto.

Andei pensando muito sobre o que escrever, não acho que a minha vida seja interessante o bastante ou que eu tenha aventuras ou lições de vida para contar. Considerei falar sobre amor, vida, viagens, intercâmbio e comida, como já havia cogitado anteriormente em forma de blog(s), vlog(s) e redes sociais aleatórias, mas fui matando os assuntos um a um.

Para falar de amor eu acho que seria egocêntrica, egoísta e caga-regras baseando em minhas próprias experiências as lições a ~ensinar~ sem mesmo ter certeza do que aprendi, sem contar as consequências de expor os lados As e Bs de minhas histórias, afinal mesmo sendo a minha vida foram poucas as vezes em que limitei meus relacionamentos à eu e eu mesma, e mesmo sem citar nomes certas coisas não são difíceis de adivinhar.

Sem o amor na jogada seria difícil falar da vida, pois hiponga que sou jamais saberia separar minhas decisões, reflexões e conclusões sem considerar sentimentos e blá blá blá to com sono e nem terminei de escrever.

Sobre viagens e intercâmbio eu até gostaria de falar, mas tenho medo de falar demais sobre como a vida é cor de rosa vivendo fora ou ser muito realista num dia ruim e reclamar da boca pra fora das dificuldades que enfrento a cada dia vivendo em outro país, falando outra língua e conhecendo novas culturas, e sobre as viagens em si como até agora não foram tantas assim pouco tenho a contar que a maioria não saiba, seria muito mais do mesmo.

Sobre comida: sei lá, eu gosto de cozinhar, descobri o quanto eu gosto de perder tempo na cozinha inventando moda mas nunca tomo nota ou respeito 100% as medidas, então de que adiantaria falar sobre algo que não sigo à risca? Sem contar que eu sou gorda, já tenho motivos o bastante para ser julgada sem falar de bolos, tortas, queijos e coisas boas da vida.

Por outro lado consegui fazer um texto sobre tudo que não gostaria de falar. Acho que no final vou acabar falando de tudo, como sempre.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Ana Paula’s story.