A tradução das línguas

Como não é tão fácil como se imagina, quando falamos do português

José Saramago trabalhou com tradução, assim como diversos escritores importantes à língua portuguesa. Foto: infelizmente não fui capaz de achar o nome do fotógrafo.

palavras que não se podem traduzir. Amor é uma delas. Saudade também. Cotidiano. Vida. Felicidade.

É normal que as pessoas aceitem a ideia de que ‘’saudade’’ não possa ser traduzida, no entanto, parece que estou equivocado quando afirmo que as demais palavras que citei também não podem.

Acontece que ‘’amor’’, ‘’cotidiano’’, ‘’felicidade’’ e ‘’vida’’ a cada povo tem um significado. Se assim não fosse, poderíamos traduzir, mas, já que é: como traduzir a palavra alemã ‘’Liebe’’ que, para os lusófonos, pode ser interpretada como paixão, afeto e, principalmente, amor, já que temos uma noção de ‘’amor’’, ‘’afeto’’ e ‘’paixão’’ diferente da dos alemães, e do povo germânico, em geral? A maneira com que os povos sentem interfere na tradução, eu defendo.

Porém, esse não é um caso dos mais graves, pois a tradução que se acha possui a mesma classe gramatical. ‘’Liebe’’, que é substantivo, acha seu correspondente ‘’amor’’, que também é substantivo. A maneira com que o autor supostamente se expressa não muda.

Mas e a palavra ‘’saudade’’, que é substantivo, como se pode traduzir para o inglês? Na maioria das vezes, quando se está escrito: ‘’Tenho saudade de você.’’, se é traduzido ‘’I miss you.’’ Ou seja, muda a classe gramatical. Muda, de certa forma, a maneira com que aparentemente o autor se expressa, para que o que ele tenha escrito possa ser compreendido em inglês.

Quando falamos ainda nesse caso específico, esbarramos ainda com aquele problema já citado: há a maneira de como os povos sentem. Um brasileiro não ‘’miss’’ alguém, não sente falta de alguém. Um brasileiro, e tantos outros lusófonos, sentem saudade.

Como minha professora de português Aurélia já disse em uma de suas aulas, Falta se sente do guarda-chuva, da blusa de frio. Saudade sinto do meu amigo, da minha namorada.

Eis aqui, nestas poucas linhas, o porquê d’eu achar que especificamente português não pode ser traduzido: é uma língua doce (como disse Cervantes), uma língua que possui mais sentimento do que certas pessoas, e é linda demais para ser trocada por qualquer outra. As pessoas que acham que inglês é tudo, que me perdoem, mas o português é a língua mais rica em relação ao sentimento da qual já ouvi falar. A maior prova disso é o povo brasileiro que, mesmo falando a mesma língua, exprime o mesmo sentimento de maneira diferente.

Há aqueles que falam gente, aqueles que dizem nossa, aqueles que gritam oxente e por aí vai. Embora falem diferente, o mesmo sentimento de surpresa é expresso, contudo, com outro sotaque e timbre. Não há como não se apaixonar por esta língua.

Olhando o texto do jeito que anda indo, parece que sou completamente contra a tradução. De certa forma, sou, porém só quando a língua em questão é a portuguesa. Sobretudo, não quero neste texto agir como patriota, mas nacionalista, apenas.

Espero, com este texto, ter-te feito não só entender meu ponto de vista sobre as traduções que envolvam o português, mas também ter te dado mais motivos para defender nossa língua, que hoje parece não ser tão amada pelos seus falantes.

Passar bem, mon amour.


Se gostou do texto e gostaria de me demonstrar, peço para que recomende e/ou comente. Dessa maneira, percebo a relevância do meu trabalho. :) Valeu, até a próxima.