Partidas para mudanças

O que percebo de mim mesma é que eu sou bastante acomodada até sofrer uma mudança que me exija movimentação. Foi assim quando me encontrei desempregada no inicio do ano, foi assim quando não consegui bolsa de estudos para o Doutorado e foi assim quando eu fui aprovada no II Colóquio Internacional de Estudos Feministas em Coimbra/PT.

Bom, estou aqui novamente, sofrendo uma mudança. Ai venho até aqui para escrever meu primeiro texto. A minha maior necessidade é tirar do peito a aflição e incerteza do futuro. Ano que vem vou me encontrar desempregada novamente devido a mudanças políticas no município que trabalho. É hora de atualizar o currículo, fazer contatos e sorrir sem querer sorrir. Gostaria de ter um emprego que gostasse como eu gosto desse que terei que sair. Durante 3 anos trabalhei em algo que não gostava. Acordar todos os dias e exercer uma função que não gostava me matava um pouco a cada dia. A vida é apenas uma para se contar os minutos para o dia acabar, mas não pedi demissão até ter outro emprego certo. Então fui dar aulas em outra cidade, uma cidade bem longe da minha, mais de 400 km de distância, mas fui. Dar aulas foi a melhor experiência profissional que já tive! Me sentia completa, colaborativa, importante e feliz. Durou um ano devido a contratos trabalhistas da universidade, mas que ano. Não me arrependo, mesmo sabendo que não seria por muito tempo, foi maravilhoso. Depois disso fui vender joias (louca desesperada) e logo consegui esse trabalho ao qual mencionei, na defesa social. Eu ainda tinha esperanças de continuar lá, mas após as eleições não tenho mais. Estou triste e desesperançosa, e ai cheguei ate aqui, para desabafar mesmo.

Acho que ninguém vai ler isso aqui, vim só falar mesmo. Não tenho intenção de transformar a página em um diário, só vim me expressar pelo mau momento que passo. Vou escrever sobre o Colóquio em Portugal em breve, uma vez que foi uma experiência sensacional.

Vamos ver o que me reserva o futuro…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.