O que Winston Churchill pode nos ensinar sobre os Dashboards?

O primeiro-ministro britânico, que liderou a Inglaterra durante a segunda guerra mundial, tornou-se um dos mitos políticos e militares do século XX. Com sua personalidade forte e visão estratégica aguçada gostava de encarar a realidade de forma nua e crua. Sua célebre frase “Fatos são melhores do que sonhos” representa muito bem essa posição.

Porém, a sua personalidade marcante e dura levou muitos assessores a filtrar as informações que chegavam até ele, evitando contrariá-lo ou expô-lo aos fatos.

Mas a sua obsessão por informações puras e verdadeiras, mesmo que negativas, fez com que Churchill, logo no início da guerra, criasse um departamento independente com o objetivo de manter-se atualizado sem qualquer pudor.

Batizado com o nome ‘Gabinete Estatístico’, esta unidade especial funcionou como coleta e entrega de informações durante toda a guerra e foi fundamental nas tomadas de decisões do primeiro-ministro.

E o que podemos aprender com isso? Que é preciso conhecer e acompanhar os fatos para enfrentar ou se preparar para as adversidades. Que Winston Churchill tinha um ‘dashboard analógico’ onde técnicos monitoravam e entregavam informações atualizadas ao estadista.

Agora, no século XXI, os dashboards ou painéis de bordo invadem as salas de controle, notebooks, tablets e smartphones dos estrategistas e tornam-se uma ferramenta poderosa para acompanhar em tempo real os indicadores do mundo corporativo que poderão levá-lo à derrota ou à vitória.

Então, para encarar este cenário competitivo você precisa:

  1. Conhecer os números, fatos e entender o que eles dizem
  2. 2. Monitorar em tempo real os indicadores vitais
  3. 3. Construir estratégias e tomar decisões

“Diante de novos fatos, só os idiotas não mudam de ideia” (Winston Churchill)

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Leonardo Copello’s story.