A avalanche SG e-sports e o futuro do Dota 2

A equipe brasileira SG e-sports, formada por Danylo “KINGRD” Nascimento, Otavio “Tavo” Gabriel, William “hFn” Medeiros, Adriano “4dr” Machado e Emilano “c4t” Ito, mudou o cenário nacional de Dota 2 ao arrancar uma vitória da equipe OG, uma das favoritas ao título, em sua estreia em uma Major.

Esse único jogo já seria capaz de colocar o Brasil no mapa mundial de Dota e mudar a perspectiva de disparidade contra os times “Tier 1”. Insatisfeito com isso, o esquadrão derrubou o Team Secret, outro favorito do torneio e invicto há 20 jogos.

Reprodução Facebook SG e-sports

As consequências já certas, foram agravadas pela atuação devastadora dos brasileiros. Até para os mais céticos, o top 8 em um dos maiores eventos do ano legitimaria a vaga Sul Americana no torneio e os prepararia para outras possíveis vitórias contra os gigantes.

Assim como aconteceu com a SEA (região do sudeste da Ásia), até o surgimento de Fnatic e MVP.Phoenix, equipes que abateram expectativas e alcançaram altas colocações no The International. Assim como aconteceu com o time KaBuM, lar de membros das equipesKeyD/Luminosity/SK Gaming, que hoje estampam o topo do CS:GO.

Nada nos diz que essa será uma equipe campeã, mas mostra o quanto o jogo pode crescer quando se tira o foco dos melhores dos melhores e possibilita times pequenos a um embate direto. A dialética desse atrito oferece a chance de criarmos novos cenários com novos personagens.

SG e-sports não só deu um rosto para o Brasil, como também servirá de inspiração para organizadores de torneios, patrocinadores, times estabelecidos e jogadores aspirantes, que antes não viam a fagulha que incendiou Kiev.