Na gangorra

Vem cá , vou te contar um sonho

Eu estava caminhando pelas ruas do jardim Europa e vi um casal de velhinhos.

Os velhinhos na praça perto de casa estavam sentados na gangorra de madeira.

Cada um em uma ponta,

num perfeito equilíbrio.

Engraçado como só percebemos o equilíbrio da vida com essas senilidades.

Talvez só agora tivessem tempo de brincar.

Se estão juntos desde jovens… eu não sei.

O besouro verde metalizado cruza meu caminho.

Eu desvio.

Me vejo naquela noite de inverno.

Os termômetros marcavam 0ºC, mas sabíamos que fazia menos.

Foram tempos calorosos em meio a noites frias

Quão pesar, a única coisa que me esquentava era o filtro do cigarro que, ao estar próximo do fim, aquecia as pontas dos dedos.

Aquela noite de 2012 na praça nunca aconteceu.

Como se o tempo tivesse parado naquele instante no cruzamento da Jerônimo Salgueiro com a Francisco Seguí e retrocedido a velocidades intermináveis

Jerónimo encontrou Francisco.

Nós nunca nos encontramos.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.