LE PARCOUR SOBRE RODAS ❤

K2 é o nome de uma montanha grande, e também de uma marca que vende equipamento para ski, snowborad e patins. Meu patins é um K2. Já tive várias marcas, essa é a que eu mais gosto porque responde bem.

Tem algo que eu gosto de fazer com ele que tenho certeza que ninguém faz, que é andar pela cidade de São Paulo sem parar. Quando digo sem parar é sem parar mesmo. Uma hora ou outra dou uma paradinha pra esperar um farol muito perigoso que quero atravessar ou pra não atropelar alguma velhinha.

Meu prazer é andar rápido e tirar fina de tudo e todos. A primeira fina que tirei de bicicleta foi de um caminhão na minha rua. Esmeralda minha babá me abraçou com tanta força e preocupação que nunca mais perdi o gosto nem a habilidade de fazer isso.

Me preocupo em não assustar ninguém, tomo esse cuidado. Mas tenho certeza de que está me acompanhando com os olhos está preso comigo. Quem me vê fica atento pois parece muito que vou cair, que vou esbarrar, que não vou completar uma ou outra manobra, que vou morrer ou me machucar muito. Há anos faço isso e é sempre muito bom, nunca ralei nem quebrei nada andando assim.

Andar de salto é dificílimo. A pé já me machuquei feio muitas vezes. De skate já cai, de bike rasguei o queixo, mas de patins nunca nada.

É meu esporte. Tem minha pulsação, é perfeito pra mim, ando desde os 12 anos de idade.

Nessa idade subi ao palco pela primeira vez pra cantar um rap que compûs na escola. É a idade da MC Sofia, linda e talentosíssima que encontrei no parque hoje andando de patins modestamente.
Ela disse “voce anda bem né?” , E eu respondi “e voce canta muito, compõe, voce é demais!” Tenho muito orgulho dessa moça, vai ser uma grande artista se quiser, pois se já é logo pequena, quando grande... vamos ver!
Adorei saber que ela tá andando de patins também. Sofia tem meu mais profundo respeito e admiração. Fora que eu acho o máximo ela ser do Butantã, menina, feminina, linda e rapper das boas.

Sempre fui acusada de não fazer as unhas de não ser feminina, de andar dura sem fazer curva… Quando eu ando a milhão no meu patins, fazendo manobra, tirando fino, ouvindo rock e rap no meu phone de ouvido, me sinto a mulher mais sexy do mundo. Meu corpo faz muitas curvas com de K2 e phone de ouvido.

E que o mundo continue evoluindo!
Ser feminina também é cantar rap! Que bom! É ter responsabilidade e se divertir também, é pensar, é ser única, sendo o melhor que você sabe e pode ser. E com dizia o Sabotage "respeito é pra quem tem" e o moço da banda inglesa "be yourself is all that you can do". ❤