O sono do Adriano

O menino não quer dormir,

tem medo de despertar

Da vida que sonha.

O quê ele fará se acordar?

Dormindo sabe quem é,

conhece a rota.

Se acorda, lá está

O desconhecido na porta

O dia se despede

Passarinho piou no ninho

O menino fala do vento que enroscou seus cabelos de patinete no pátio

Dias tão desiguais.

O menino não quer dormir

E acordar na vida de verdade

Inventa uma história sem fim,

Que não tem idade.

Acordado

O menino achou que tinha sonhado

Balanço de borracha no bosque

Arroz e brócolis, leite e cereal

Sim, tudo parece igual.

Um dia que não acabasse

Sopa que não esfriasse

Alguém, por favor, me abrace.

O menino acordado

Lá do outro lado

com nada daquilo a que estava acostumado.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Luciana Cabral, PhD’s story.