Você vê a vida dele passar na sua frente

Confuso

Também pudera, foram arrancados um do outro

“Pelo bem da humanidade”, disseram

Olha para ela, bela enquanto beija-o

Inveja-a

Nunca se passou isso na sua mente

A vida é realmente indecifrável

Enquanto colocava a alma nas palavras

Olhava para o ontem perguntando

“a que diabos está me levando?”

Ele dizia que podia te salvar

E Você sabia muito bem disso, não?

A libertação era necessária

O deus ensinava os bons costumes ao Bem

Você queria a salvação

Mas suas salvações eram diferentes

Opostas

Opostas impostas por quem?

Você quer gritar

Mas cala o som e afaga a ansiedade

A ânsia de querer quem não se pode mais ter

O diabo te carregou pra longe

A melodia retorna aos poucos

Como uma religião

Versos proclamados contra Você

Contra Tu e os Teus demônios

A ira surge

Enquanto um falso amor é dado a Ele

A ira não é mais um pecado

Os dois são mergulhados na luxuria

Não só o Bem e o Mal, ela e “eles” também

Sexo se torna uma oração

No êxtase o amém vem após o prazer

No êxtase o próprio prazer é o amém

“confuso seria vocês se separarem”, um demônio grita

Você concorda

“opostos? todos nós somos”, diz um anjo ao pé do ouvido

Ele assente em silencio para não acorda-la

“religião? todos nós somos deuses, meu caro”

“Que religião aprovaria o bem e o mal juntos? Só a nossa própria” pensam ao mesmo tempo

No reencontro o silencio dramático grita

Você surge e encontra o Bem em meio a multidão

Os fieis gritam “GLÓRIAS”

Os ateus gritam “ISSO É UM ABSURDO”

No confronto o mundo desaba

Olham para o céu e pedem uma resposta

Os céus se abrem e você sente contrações

deus e diabo se ajoelham

E assim nasce

Parido

Do Bem e do Mal

Amor.

Luca Alves.