Atemporal

O começo do último dos amores

Continua no fim

Vai andando, devagar,

Respirando assim.

Crescendo e prosperando,

Como flores num jardim.

Outrora murchando,

e morrendo

como esse verso

que já foi pra mim.

Deixai-os a sós,

como jardineiro fiel faria

ao ver duas rosas

numa só sintonia.

Deixai-os a nós

como eu mesmo diria

Logo após

O fim do primeiro dos últimos amores.

Like what you read? Give Lucas Guarnieri a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.