“Online”

Nessa arte do desapego,
Me apeguei à ausência.
Fiz dela minha transparência
E me escondi num aconchego. 
Me doutrinei ao favorável;
Anestesiei minha vontade
Que acordou pela metade.
Virou algo confortável. 
Onde fiquei, estático.
Parado, porém ágil.
Oculto que sou frágil,
Em prol de ser simpático. 
Nesse curioso apego,
Do meu amor, vou cuidando. 
E, assim como Fernando,
Me prendo ao desassossego.