Sobre 2016

Última tarde de 2016, que terminou com uma tempestade torrencial. Parece até papel de parede do Windows, mas tirei essa foto com meu celular (Instagram @ luxferia).

Comecei minha reflexão de 2015 falando sobre a rapidez que ele passou, e se encaixa perfeitamente a esta minha sobre 2016. Porém, se eu tive a impressão que 2015 passou rápido, 2016 passou voando. Nem deu pra piscar direito, apesar de ter sido um ano bom para mim. Não foi um ano agitado quanto os dois últimos. Um ano muito rápido, porém tranquilo.

2016 começou me trazendo um namorado, o irmão de uma amiga de escola. Nunca pensei que fosse dar nisso. Nossa história começou mesmo em 2015, entre idas e vindas, e estamos há um ano juntos. A gente se dá muito bem e gostamos muito um do outro. Se meu ano foi calmo, esse foi um dos motivos. Mas também um dos motivos para meu ano ter sido tão bom. Então, só tenho que agradecê-lo por isso.

Mudei radicalmente o cabelo 3 vezes. De liso na cintura pra compacto azul com cachos. No fim de 2015, iniciei a transição capilar. Em fevereiro, passei por um período de depressão e baixa autoestima — o que me deu coragem para cortar chanel. Em maio, cortei joãozinho e desde então tenho mantido assim. É outra vida! E a cereja do bolo: pintei de azul. Se antes eu estava muito descontente com meu cabelo e não sabia nem tinha paciência de cuidar, agora a história é outra! Minha vida de colorida me obrigou a ter o hábito de cuidar. Faço low poo e cronograma capilar. Recebo mais elogios do que cantadas na rua. Me sinto maravilhosa. Amo meu cabelo.

Tatuagem e foto por Marcelo Zissu (Instagram @ marcelozissu).

Fiz minha tatuagem de leão na coxa que eu tanto queria. Pena não ter feito outras.

Depois de apanhar um pouco, me adaptei ao coletor menstrual. O coletor juntamente com o low poo me abriram as portas para hábitos mais saudáveis e conscientes, me fazendo pensar nos produtos que consumo — a necessidade, os custos e os perigos à saúde e ao meio ambiente. Estou caminhando para o Slow Beauty e outras tendências minimalistas.

Decidi não tomar anticoncepcional e utilizar outros métodos. Faço acompanhamento com sintotermal, que é ótimo para monitorar a saúde, e entendo muito melhor como meu corpo funciona e meu ciclo.

Passei a me impor mais, a não aceitar nem guardar tudo dentro de mim. Disse mais “não”.

E com essa pegada mais consciente e empoderada, comecei a me sentir mais conectada a mim mesma e a minha bruxa interior. Com certeza, me amo mais do que nunca.

Não consegui realizar todas metas que estabeleci, não fiz tantas coisas novas ou diferentes, nem tive tantos altos e baixos emocionais como em 2014 e 2015. Foi um ano que amei e fui amada e isso perdura neste ano. Um ano de introspecção, empoderamento, aprendizado e mudanças de hábito. Me conheci melhor, por dentro e por fora. O ano passado só deu início a esse processo, porque neste novo ano ele não parará. Vou adquirir mais e solidificar os novos hábitos.

Eu fui feliz também em 2016, assim como em 2015. E certamente continuarei em 2017. Agradeço a todos que participaram da minha vida ano passado, mesmo que por pouco tempo. Pessoas queridas que conheci e acabaram fazendo morada no meu coração. E principalmente a meu namorado e sua família por me aceitarem.

Obrigada, obrigada, obrigada. ❤

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.