Sobre Persona e ansiedade
Guilherme Jacobs
181

Eu joguei Persona 4 há um bom tempo, ainda estava na escola quando jogava o jogo. Inicialmente fiz uma bad ending e não percebi e passei longos anos até saber que existia outras endings do jogo e que eu não havia descoberta a história completa.

Voltei a jogar na faculdade e fiz até a true ending. Se for contar no meu memory card, deve haver umas 180–200 hrs de jogo, e mesmo assim eu apenas joguei ele superficialmente, limitado as suas mecânicas de jogo e a história principal.

Esse seu texto e um outro texto que li na internet algum tempo atrás me fizeram perceber essas outras mensagens que o jogo passa. Eu presenciei tudo isso que você narrou, mas apenas não parei para refletir sobre todos esses acontecimento… Mais do que tudo, eu apenas deixei que eles ficassem no mundo dos jogos, e não tentei refletir efetivamente sobre isso no mundo real, na minha vida por exemplo.

É um ótimo texto, expressa bem uma ótima qualidade desse game que provavelmente é o que mais cativa nas pessoas (eu provavelmente fui cativado por isso e não havia percebido).

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.