Medium menos espírita

Lá no Brasil, onde vivo, o povo pelo menos vai à praia ou ocupa uma rua bem movimentada quando quer se tornar relevante às custas dos outros.

O americano, esse brasileiro em treinamento, prefere o Medium e esses títulos narcisistas e a mescla de aprendizado, lição de vida e egomania que chove de cada texto.

Sinal de que a escola pelo menos alfabetizou.

Alguém de língua preta poderia dizer que também é sinal de calorias sobrando. E nutrição algo melhor.

Like what you read? Give Marcelo Ferlin a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.