“Se ganhasse salário mínimo, eu dava um tiro no coco.” — säldôso presidente Figueiredo

Por uma definição mais precisa de povo

Kelsen-Larkin Simpatia in A função social do “bando”

“Ora, o povo é alguém que obedecendo as leis se fode.”

“O fundamento de toda autoridade é escapar da condição de povo.”

“O bandido é aquele que momentaneamente detém a autoridade (um revólver) ou o fundamento (um cargo ou um título). A bandidagem, portanto, é uma tensão social.”

“Aquele que detém ao mesmo tempo o fundamento e a autoridade se torna capaz de criar mais leis, mais povo ou mais meios de foder o povo. Esse é o princípio grego da tirania.”

“E é por ser tensão social que bandidos podem ter efeitos positivos no desenvolvimento de partes da sociedade, como mecenas renascentistas ou anões industrializadores, caso de Vargas no Brasil. Genocídio, fome, perseguição, tortura, arte, realismo socialista e estatuário horrendo de figuras ridículas são todos efeitos negativos.”

O mister Simpatia, malvado tigre de pelúcia, também diz que nenhuma definição que trata do objetivo ou ideal (bem comum, comunicação, procriação) e não do efeito real (poder, verme de ouvido, sodomia) é séria.
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.