Estique-se!

A vida nos pede algo todos os dias. O quão bom pode ser se decidirmos exigir mais de nós? Nos “esticar” propositalmente?

Sair da rotina de nós mesmos, testar nossos limites e capacidades, ir mais fundo. Talvez descobrir novos horizontes. Definitivamente isso não é uma apologia a irresponsabilidade ou imaturidade, de fazer algo desprovido de moral ou de propósito benéfico para si e para os outros. De repente descobrir um dom ainda oculto, não importa a idade. Pelo contrário, quanto mais a frente estiver maior o impacto causado, perceber-se sem limites.

Isto é claramente um convite para mergulharmos no melhor de quem somos! Sim, porque já o somos. A ideia é descobrir e desenvolver! Sairmos da superfície que conhecemos e podemos ver e tocar acerca de nós mesmos . Ir além do que a rotina nos pede. Descobrir o quão bom podemos ser em algo, ou quão melhor podemos ser como humanos. Manifestar uma natureza cada vez mais complexa, dinâmica e espontânea. Mais colorida!

Esquecer frases do tipo “isso já sei” “isso já faço” ou “já sou”. Sempre dá para saber, fazer ou ser mais. Sempre dá para ser melhor. Sempre dá para ir mais fundo ou mais alto. Esses tipos de pensamentos estabelecem um teto intransponível do qual será cativo. Transformar-se em uma pedra. É entregar-se à mediocridade. Abrir mão de si mesmo. Imaginar-se um pequeno deus, apesar de não o dizê-lo. Sentir que não tem mais o que aprender ou melhorar é observar-se de baixo para cima e ver o mundo de cima para baixo. Este é o sentimento que joga o homem ao chão e o deixa lá com um coração altivo. Exigindo atenção e reconhecimento daqueles que andam na vertical ao seu redor mas estão em outra altura. Não por serem melhores, mas porque decidiram não serem os mesmos todos os dias. Em suma. É uma visão completamente desfigurada. Esquece-se quem a tem que o resto dos homens não olham o mundo por essa lente e não enxergarão o que ela vê. Possivelmente verão uma pedra arrogante.

Fazer algo novo ou fazer melhor daquilo que temos e realizamos todos os dias. Mais do que o suficiente. Dar um passo mais largo. Talvez passos novos. Exigir de nós mais do que a rotina pede, e ir além disso. Ultrapassar limites. Conhecer novos obstáculos e superá-los. A cada novo desafio vencido uma nova mentalidade se forma. Entre feridas e troféus uma nova visão, uma nova perspectiva vão sendo geradas. Um outro de nós se apresenta para si e para o mundo. A cada avançar a paisagem de contexto muda, nossos sentimentos se transformam. A determinação fica cada vez mais forte. O medo fica mais dominável. As dúvidas podem até existir mas elas já não tem tanto poder sobre nós. Nosso horizonte fica cada vez mais amplo. Nosso mundo fica maior. Nosso ritmo muda. Se antes os primeiros metros ou os primeiros 10 minutos eram insuportáveis e inatingíveis, agora a primeira meia hora não é o suficiente para nos fazer pensar em parar. Nossa respiração muda, nossa resistência aumenta, tudo em nós se desenvolve junto. Porque nós mudamos. Nós crescemos!

Esses desafios podem ser de quaisquer natureza. Tudo o que te custe algo. Até porque se não custar, não será desafio! Mudança de rotina, mudança de hábitos, mudança de postura ou de visão. Decidir se relacionar melhor com as pessoas, pedir perdão com maior frequência, se disponibilizar a ajudar alguém em que os resultados da ajuda em nada te afetem, sorrir mais. Julgar menos, bem menos! Evitar falar de pessoas que não estejam presentes. Não fazer alguma coisa que não faria se houvesse alguém olhando. Exercícios físicos para os sedentários de plantão (assim como eu em alguns momentos). Ler um livro que te ajude de forma prática e relevante. Quando foi a última vez que leu um livro sobre como ser um marido/esposa, pai/mãe, filho(a)/irmão(ã) melhor? Quando foi a última vez que você se deixou ser ensinado? A vaidade está corroendo o mundo! Pode ser estudar mais, ler mais, conversar mais com seus pais ou com as pessoas que moram com você, talvez cozinhar para ela ;).

Começar é sempre a parte mais difícil. O desafio é transformar novas atitudes em hábitos e estes últimos em parte do caráter. Então comecemos! O desafio é se desfiar!

Boa sorte!

Se você gostou comenta aí. Vamos compartilhar nossas novas experiências. ;)

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Marilia Carvalho’s story.