Amizade verdadeira é coisa sem fronteira

Não há laços de amizade, pois uma amizade sólida, forjada em amor, não se desfaz facilmente, como acontece com um laço. Amizade autêntica é forte e firme e, como nó de marinheiro, não desgarra as pontas que une.

Assim foi o nó de amizade entre Raquel e Ione. Foi porque amizade assim só pode se desfazer pela morte. Infelizmente Raquel partiu, deixando um vazio no coração de tantas pessoas que a amavam. Que se dirá do que ficou no coração de seus pais e suas irmãs?

Raquel e Ione no lançamento do livro Amnésia, na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS).

O amor de amigos não tem fronteiras ou barreiras. Raquel e Ione se conheceram como colegas de trabalho, há 25 anos. O coleguismo profissional avançou rapidamente para uma grande amizade. Raquel tem pai português e mãe católica fervorosa, uma fé que se estendeu a ela e suas irmãs. Mas essa fé nunca foi barreira para a amizade com a evangélica ativa Ione. O fato de Raquel ser solteira não diminuiu a amizade com a Ione casada (Raquel foi uma das madrinhas desse casamento) e mãe de três filhos. Raquel era mais introvertida, reservada, tímida, mas gostava de estar junto da extrovertida Ione.

Não há barreiras de fé, de comportamento ou estilo social quando a aproximação se dá pelo coração. Não há fronteira entre pessoas que nutrem uma amizade verdadeira. Elas se completam e se mesclam. Raquel se tornou escritora e publicou dois livros. Ione colaborou na divulgação do lançamento de ambos.

Quis o destino que Ione fosse a última pessoa com quem Raquel falou, ainda que com dificuldade, e pelo telefone. Uma das irmãs de Raquel disse a Ione que ela era considerada como membro da família. Amizades verdadeiras avançam no tempo e no espaço, e na expansão de afeto.

Raquel (ao centro) com os amigos Denis Zoanon, Ione Smeets e Silvia Gasparoto.

Este texto tem o objetivo de ressaltar a importância da amizade em nossa vida e de como as que são verdadeiras não se deixam bloquear por nada, mas também é uma singela homenagem a Raquel. Citei a amizade entre Raquel Rodrigues e Ione Smeets por ser a que conheço de perto, mas é certo que Raquel teve grandes e importantes amigos, com a mesma relevância e importância, pois era uma pessoa dedicada a cultivar corações.

Que o legado de carinho de Raquel e seus livros nos façam sempre recordar que há amizade de verdade e que devemos buscá-la. Que as barreiras caiam e as fronteiras deixem de existir, que o amor prevaleça e se estenda pela eternidade.

“A amizade é um amor que nunca morre.” — Mario Quintana