Quem são esses na abertura da Rio 2016?

Lá vem o papinho intolerante, preconceituoso, mente fechada contra alguns artistas que irão se apresentar na abertura das Olimpíadas do Rio…

Sim e não. Intolerante, preconceituoso e mente fechada, não. “Papinho” eu deixo a seu critério. Mas que é contra a escolha de certos “artistas” que “representarão” nossa cultura em um evento internacional, isso é.

As Olimpíadas anteriores tiveram, em sua cerimônia de abertura, a apresentação de bandas ou cantores que não eram tão conhecidos internacionalmente, é verdade. Mas sempre se buscou representar o que cada país tinha como cultura e história de seu povo.

Ainda há dúvidas quanto a presença de certos nomes, mas alguns já estão certos. Caetano Veloso, Gilberto Gil e Elza Soares soltarão a voz para o mundo todo apreciar. São artistas de alto calibre, quer se aprecie seus gêneros musicais ou não. Cantores como esses são reconhecidos internacionalmente e definitivamente fazem parte da história cultural de nosso país. Eles cooperaram na formatação do que se reconhece como música brasileira mundo afora. Para esses eu bato palmas.

Outros nomes confirmados para sacudir os pilares dos deuses na abertura olímpica da próxima sexta-feira são os de Wesley Safadão, Ludmilla, Karol Conka, MC Soffia e Anitta. Humm… Como é que é? O primeiro eu já vi em propaganda de automóveis, a segunda é conhecida por gostar de ensurdecer seus vizinhos ouvindo música estridente no último volume para demonstrar que é nova rica e tá podendo. As duas seguintes são completamente desconhecidas por mim (mas que cara sem noção sou eu, não é?). A tal da Anitta já andou aparecendo na TV aqui e acolá, e parece sonhar ser a Beyoncé brasileira, a ponto de copiar descaradamente alguns dos clipes dela.

Eu questiono a presença dessas pessoas na abertura da Olimpíadas do Rio porque não penso que faça qualquer sentido dar representatividade a quem não representa a cultura brasileira. Esse grupo de “cantores” apareceu outro dia para a vida e já ganharam status de estrela a cantar para o mundo em um evento internacional de extrema importância? Sem chance.

Antes que você simploriamente me etiquete como retrogrado e preconceituoso, quero deixar claro que penso que muito provavelmente o motivo de artistas como esses serem convidados para a nobreza de uma abertura de Olimpíadas é o que move o Brasil, infelizmente — interesses escusos. É o “vamos tirar uma graninha com isso também”. Não seria do interesse de certos empresários promover uma espécie de “jabá olímpico”? Um meio de divulgação conquistado com gigantescos “molha-mão” para fazer sobressair esses “sabe com quem tá falando”?

Se é esse o caso, a cultura brasileira estará representada, mas pelo seu lado negro, o da corrupção e do jeitinho, para que um e outro ganhem mais um pouquinho. Eita país da bandalheira…