A Evolução dos Meios de Comunicação

Os meios de comunicação são essenciais para o convívio entre uma sociedade, desde a antiguidade era necessário uma evolução da forma de se expressar.

20.000 a.C: Pinturas nas Cavernas

A primeira evolução dos meios de comunicação conhecidos pela ciência, foram as Pinturas nas Cavernas. Foi provavelmente antes da atual glaciação que as pessoas começaram a fazer representações artificiais do mundo em que viviam. Mas as primeiras tradições artísticas surgiram somente ao longo dos últimos 20 mil anos. Agora, aspectos essenciais da vida são retratados com uma habilidade e um realismo antes desconhecidos.

Figuras e Símbolos

Parte do avanço artístico consiste no fato de que esses artistas estão começando a avaliar seu ambiente e a observar cuidadosamente seus detalhes físicos. Em outras palavras, o trabalho deles pode ser tanto simbólico quanto figurativo. Trabalhando à luz de lamparinas, nas profundezas dos sistemas de cavernas, eles pintam símbolos misteriosos e também imagens naturalistas de um cenário que inclui mamutes, renas, bisões e outros animais que encontram diariamente. De fato, talvez eles acreditem na pintura de animais como uma espécie de magia para aumentar a probabilidade de uma caça bem-sucedida, possivelmente porque o gélido clima está tornando a vida cada vez mais difícil para os habitantes da cavernas.

59 a.C:O Primeiro Jornal

*Imagem Ilustrativa

O primeiro registro de um jornal ocorreu na Roma Antiga, em 59 a.C. (antes de Cristo), na Europa. Ele se chamava Acta Diurna e tinha a missão de divulgar para a população as conquistas e expansões realizadas pelo então imperador Júlio César. Ao contrário dos exemplares que temos hoje em dia, tudo era feito em grandes tábuas de pedra, que eram mostradas para todo o público nas principais praças das grandes cidades integrantes do império. Como era um jornal feito a pedido dos políticos, reza a lenda que não eram publicadas informações negativas, como derrotas em batalhas.

Muito tempo depois, no século 8, os chineses criaram os chamados ‘boletins de notícias’ do governo. Era um trabalho feito manualmente nos papéis e todo o processo era muito demorado, o que dificultava a reprodução das obras.

Uma verdadeira revolução no jornalismo — e de toda cultura ocidental — ocorreu a partir do século 15, quando o alemão Johannes Gutenberg aperfeiçoou a prensa, máquina capaz de imprimir tipos móveis (caso de letras feitas em metal) em papel. A técnica de impressão já existia na China, mas possibilitava apenas o uso de gravuras. Gutenberg criou uma máquina que tornou possível a produção de obras em grandes quantidades, incluindo livros. O primeiro exemplar jornalístico feito com a técnica surgiu na Alemanha, em 1609. A ideia de se ter um produto publicado todos os dias, como o Diário, veio somente em 1650 no mesmo país.

1837: Telégrafo

O telégrafo é um sistema concebido para transmitir mensagens de um ponto para outro em grandes distâncias, utilizando códigos para a rápida e confiável transmissão. As mensagens eram transmitidas através de um sistema composto por fios.

Telégrafo é um sistema que foi criado no século XVIII com o objetivo de transmitir mensagens de um ponto para o outro, através de grandes distâncias.

Os telégrafos usavam códigos para que a informação fosse transmitida de forma confiável e rápida. O principal código utilizado pelos telégrafos foi o código Morse, que surgiu com a criação de telégrafo elétrico na década de 1830. Samuel Morse criou e registrou a patente do telégrafo no ano de 1837.

O telégrafo foi o principal sistema de comunicação a longa distância nos séculos XIX e começo do século XX. Foi muito utilizado por indústrias, governos e até mesmo pelas forças armadas de diversos países em momentos de guerra.

Com o surgimento e disseminação do telefone, principalmente na primeira metade do século XX, o telégrafo foi sendo preterido.

1875: Telefone

O telefone nasceu meio por acaso, na noite de 2 de junho de 1875. Alexander Graham Bell, um imigrante escocês que morava nos Estados Unidos e era professor de surdos-mudos, fazia experiências com um telégrafo harmônico quando seu ajudante, Thomas Watson, puxou a corda do transmissor e emitiu um som diferente. O som foi ouvido por Bell do outro lado da linha.

A invenção foi patenteada em 7 de março de 1876, mas a data que entrou para a história da telefonia foi 10 de março de 1876. Nesse dia, foi feita a transmissão elétrica da primeira mensagem completa pelo aparelho recém-inventado. Graham Bell se encontrava no último andar de uma hospedaria em Boston, nos Estados Unidos. Watson trabalhava no térreo e atendeu o telefone, que tilintara. Ouviu, espantado: “Senhor Watson, venha cá. Preciso falar-lhe.” Ele correu até o sótão de onde Bell havia telefonado. Começava uma longa história. A história das telecomunicações, que iria revolucionar o mundo dali em diante.

????: Rádio

Paternidade questionada

Há grandes controvérsias envolvendo a invenção do rádio. Por utilizar quase 20 equipamentos patenteados por outro pesquisador, Nikola Tesla, a autoria de Marconi vai ser contestada na Suprema Corte americana na década de 40. Além disso, história não reconhece devidamente o pioneirismo do brasileiro Roberto Landell de Mora, padre gaúcho que realizou transmissões de rádio no Brasil supostamente em 1893 (dois anos antes de Marconi). Landell de Moura também realizou a primeira transmissão de voz humana no Brasil em 1899, a partir do Colégio das Irmãs de São José (atualmente Colégio Santana, na zona Norte de São Paulo), conforme foi no tíciado pelo jornal O Estado de S. Paulo daquele ano.

????: Televisão

Paternidade questionada

Não se pode dizer precisamente quem inventou a televisão, pois vários estudiosos contribuíram de uma forma ou de outra para a criação deste eletrônico. Na década de 20, a grande busca dos cientistas era tentar agrupar e transmitir as ondas sonoras (algo que já era possível com o rádio) juntamente com a imagem em movimento.

1990: Internet

A rede mundial de computadores, ou Internet, surgiu em plena Guerra Fria. Criada com objetivos militares, seria uma das formas das forças armadas norte-americanas de manter as comunicações em caso de ataques inimigos que destruíssem os meios convencionais de telecomunicações. Nas décadas de 1970 e 1980, além de ser utilizada para fins militares, a Internet também foi um importante meio de comunicação acadêmico. Estudantes e professores universitários, principalmente dos EUA, trocavam ideias, mensagens e descobertas pelas linhas da rede mundial.

Foi somente no ano de 1990 que a Internet começou a alcançar a população em geral. Neste ano, o engenheiro inglês Tim Bernes-Lee desenvolveu a World Wide Web, possibilitando a utilização de uma interface gráfica e a criação de sites mais dinâmicos e visualmente interessantes. A partir deste momento, a Internet cresceu em ritmo acelerado. Muitos dizem que foi a maior criação tecnológica, depois da televisão na década de 1950.

A década de 1990 tornou-se a era de expansão da Internet. Para facilitar a navegação pela Internet, surgiram vários navegadores (browsers) como, por exemplo, o Internet Explorer da Microsoft e o Netscape Navigator. O surgimento acelerado de provedores de acesso e portais de serviços on line contribuiu para este crescimento. A Internet passou a ser utilizada por vários segmentos sociais. Os estudantes passaram a buscas informações para pesquisas escolares, enquanto jovens utilizavam para a pura diversão em sites de games. As salas de chat tornaram-se pontos de encontro para um bate-papo virtual a qualquer momento. Desempregados iniciaram a busca de empregos através de sites de agências de empregos ou enviando currículos por e-mail. As empresas descobriram na Internet um excelente caminho para melhorar seus lucros e as vendas on line dispararam, transformando a Internet em verdadeiros shoppings centers virtuais.

Nos dias atuais, é impossível pensar no mundo sem a Internet. Ela tomou parte dos lares de pessoas do mundo todo. Estar conectado a rede mundial passou a ser uma necessidade de extrema importância. A Internet também está presente nas escolas, faculdades, empresas e diversos locais, possibilitando acesso às informações e notícias do mundo em apenas um click.


One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.