Hm

Você não vai entender o que eu vou dizer então mesmo que você ache que está entendendo saiba que não está, mas caso queira tentar, sinta-se a vontade. A primeira vez que eu vi ela eu estava em um parque que eu nunca fui, folha de bordo caiam ao fundo da rua bem asfaltada na qual andávamos. Seu movimento foi simples, ela só precisou dar uma olhada para trás enquanto dava um leve sorriso começando pelo canto da boca. Depois disso eu não vi mais ela. Ela não é nem era uma mulher e sim um conceito. Um conceito que não está preso a uma só mulher mas nunca é visto em duas ao mesmo tempo. Mesmo assim a próxima vez que eu a vi não foi tão agradável assim. Eu estava com um amigo num culto, era primeira vez que nós íamos naquele local, era um grande galpão. Nós entramos, nos sentamos e logo uma mulher que ainda não era ela veio até nós nos pedir algumas informações, nós as damos e ela saiu. Quando a ela certa veio até nós, sentou na cadeira de trás e começou a puxar assunto, ela perguntou primeiro “Vocês me acham bonita?” eu disse que sim e meu amigo disse que não, então ela perguntou “Algum de vocês quer ficar comigo?” eu relutei e disse que não, já meu amigo disse que sim. Eu não entendi porque ele faria aquilo, ele sabia o que eu pensava dela e quanto era importante pra mim. Ele entendeu que ao não aceitar ficar com ela naquele momento eu não iria querer nunca então eles se levantaram, foram para o estacionamento e começaram a se beijar. Eu assisti aquela cena assustadora e não parou por ai, eles entraram em um carro e terminaram o serviço. Eu estava derrotado, voltei para o hotel onde o Pato me amparou, mas eu fui para o banheiro chorar no chuveiro. Não demorou muito para que eu tivesse noticias dela novamente. Meu amigo negou tudo e disse que eu entendi errado o que aconteceu, mas como dizer que eu não vi o que meus olhos viram? Eu encontrei ela numa quadra poli esportiva, ela estava andando de carro lá dentro, meu amigo viu que eu estava triste pelo o que tinha acontecido então fez com que eu conseguisse andar de carro junto com ela, foi a primeira vez que nós tínhamos ficado um do lado do outro. Ela não tem seios muito grandes, nem uma bunda excepcional, muito pelo contrário, sua maior beleza está em seu sorriso e no que ela carrega dentro de si. De fato ela e meu amigo nunca se beijaram, não fisicamente, porque ela o beijava em seus sonhos. A terceira vez que eu a vi foi de relance, eu estava em um hospital, ela passou por mim com um avental de enfermeira, ela sorriu pra mim, ela se lembrou de mim e me tratou bem. Eu senti esperança de um dia poder ter ela pra mim. Ela foi na minha casa, nós estávamos sozinhos e íamos assistir um filme, era era do gelo 5. Estava nublado, mas o sol ainda queimava por de trás das nuvens as nossas peles, assistimos o filme estando mais longe possível da televisão. Após o fim ela me pediu para contar um segredo, ela me mostrou a forma mais oculta e pessoal dela, ela era um Husky, assim ela poderia andar comigo sem que seus amigos percebessem e ela pudesse vivem sem o julgamento deles. O julgamento de seus amigos era o maior empecilho pra que ela vivesse a vida que ela queria, então por confiar em mim ela pode pelo menos por um dia ser ela mesma. Mas algo aconteceu, e eu sei metade do fato. O fato é que ela pediu meu amigo em namoro e outro fato é de que ele recusou, não só a recusou como a humilhou. O que não entra na minha cabeça é o que eu tenho a ver com isso. Estranho pensar no sentido disso porque até onde eu sabia nós é q estávamos nos envolvendo não eles, ele nunca ligou pra ela como eu liguei então não tem surpresa em ele não querer ela mesmo eu achando que ela quisesse ficar comigo. Então o que aconteceu foi o seguinte, eu e meus amigos fomos à uma cafeteria. Nós entramos, nos assentamos e enquanto eles terminavam de se situar eu fui até a bancada ver as opções de café da manhã. Quando eu volto lá está ela conversando com meu amigo, não o primeiro mas sim um outro, um que não gostava dela no caso. Eles conversaram e se deram super bem, mas nesse momento eu senti algo estranho, ela começou a me ignorar e isso não mudaria ao longo do tempo. É triste chegar a esse ponto da história, onde tudo da errado, mas ele existe e é inevitável. Eu não seria justo com a história se eu ignorasse seu final. Então o que aconteceu foi o seguinte, após suscetivas tentativas de me separar dela, ela conseguiu. A última vez que nos vimos pessoalmente eu me despedi dela, nós nunca mais nos encontraríamos pessoalmente, eu só a veria por fotos e assim ela também. Mesmo que por fotos eu sinto ainda que ela está ao meu lado. Eu vi um pouco dela na minha aula de física. Não era como eu queria, nem como eu esperava. Mas eu voltei a encontra-la, encontrei sim. Ela estava com seu namorado e me perguntou se a gente precisava estar de mau por isso, eu disse que não, eu faria de tudo pra ter ela perto de mim, independente das circunstancias.

Like what you read? Give Rudá a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.