Dedos entrelaçados, universo aberto

Uma conexão Fortaleza, Portugal, Rio de Janeiro, mundo. Tudo ao mesmo tempo, várias mãos e mentes conectadas fazendo valer o conceito de rede de relacionamento para a geração de negócios, esteja a pessoa cara a cara com a outra ou do outro lado do Oceano Atlântico.

Para quem não acredita no real poder do networking, cito um exemplo ainda embrionário, mas extremamente positivo e que vem sendo construído na Câmara de Comércio Brasil-Portugal no Ceará, uma entidade como tantas outras do gênero e com um passado recente de sumiço das mentes de seus associados e da sociedade. Talvez por não ter acompanhado as velozes mudanças da sociedade do conhecimento, representada aqui pela velha máxima do “quem não é visto, não é lembrado”.

Com uma diretoria renovada em energia e com um olhar mais aguçado para as potencialidades do mundo digital, a Câmara montou um calendário de encontros mensais para 2016, intercalados entre almoços e cafés da manhã de negócios. A ideia inicial é simples e ancestral, nada de novo. Juntar pessoas em um ambiente para conversar sobre temas de interesse, trocar cartões, conhecer um pouco mais sobre os demais e procurar formas de se fazer negócios entre si. Tudo bem, se isso não contasse com a limitação natural do espaço onde o evento é realizado.

Pois no Café & Negócios deste mês de abril, ao colocar em pauta o tema “Redes Sociais a Serviço da Sua Empresa”, a entidade ousou realizar um encontro objetivo em sua essência, mas ousado em seu propósito e formato. E com um potencial que foi bem além das cento e poucas pessoas presentes.

Lugares previamente marcados à mesa para garantir a fuga das “panelinhas” e permitir a maior mistura possível de empresários e investidores de áreas distintas.

Um aplicativo (Attend) já devidamente criado para estimular os presentes a se cadastrar e exercitar o networking online.

Apresentações curtíssimas de dois associados com negócios ligados ao tema principal.

Um convite à participação no Web Summit 2016, considerado o maior evento de tecnologia do mundo, e que será realizado em novembro em… Lisboa (claro, pá, estamos a falar de uma câmara de comércio lusa, lembra?).

A presença de uma profissional reconhecida da área de marketing digital (Mariana Marques) com o objetivo de dar uma sacudida na mente e nos conceitos do heterogêneo público em idade e setores de atuação, mas muito semelhantes em matéria de desconhecimento desse mundo virtual. E como a Mariana sacolejou as cabeças, a tirar pelos balançados….positivos, negativos…como se refletissem até que ponto eles e suas empresas não estavam mesmo fora desse universo e deixando de ganhar dinheiro por conta disso.

E, por fim, um pequeno detalhe que fez toda a diferença, uma “bossa” que demonstrou o potencial da união de pessoas e negócios sem precisar sair da cadeira. Um link direto do Rio de Janeiro via Skype colocou no meio da conversa o empreendedor digital Alexandre Luércio, que além de interagir com a plateia, chamou a atenção dos presentes para como as redes sociais podem ajudar na construção de marcas e na apresentação de produtos e serviços. Ah, e ele mesmo fez a apresentação da palestrante, à distância, facilitando a vida do mestre de cerimônias aqui.

Tudo foi feito de maneira curta e adequada à agenda corrida de todos.

Ao final, após os aplausos de praxe em uma apresentação tão empolgante como são as da Mariana, os participantes se levantaram entre exultantes, empolgados, e alguns ainda anestesiados com o que ouviram. Trocaram mais cartões em papel, deram tapinhas nas costas, alguns saíram de lá com reuniões de negócios marcadas. Mas, indistintamente, todos com a certeza de que as oportunidades de crescer estão cada vez mais perto, na ponta dos dedos, dentro dos bolsos das calças ou das bolsas das mulheres, sob a forma de smartphones. E os clientes até então aparentemente distantes, podem agora ser aproximados a partir de alguns cliques.