Fonte: Google Imagens

Conectar-se virou sobrevivência

O mercado de trabalho se atualiza a cada dia com o mundo globalizado

Uma nova rede social ganha olhares curiosos na internet. Você já sabe de quem estamos falando? O Linkedin, famoso mundialmente por abrigar milhares de currículos virtuais, publicou em fevereiro de 2015 sua meta de 20 milhões de usuários brasileiros e ficou em terceiro lugar no ranking mundial. O site é usado para incluir todas as informações do currículo, além criar vínculos entre pessoas do mesmo segmento profissional. Muitos, que talvez não tivessem a chance de conhecer diretores de empresas renomadas, hoje se tornam até amigos de café.

Segundo uma pesquisa realizada pela Robert Half, especializada em seleção de executivos, o Brasil é o país que mais emprega através do Linkedin. A rede é utilizada para encontrar candidatos, até dar oportunidades em cargos estratégicos.

O analista de marketing digital Dennis Eduardo Sampaio, 21, encontrou sua vaga através do site e afirma: “- A proposta da rede é centralizar e organizar um currículo, para ficar mais fácil para os empregadores encontrarem os futuros colaboradores. O processo de triagem é feito ali mesmo”. Além disso, Dennis conta que é preciso ser cauteloso com o que se posta na internet. “- Ter cuidado com o que se compartilha ou curte é fundamental, ainda mais no Linkedin, onde o ambiente é mais corporativo; Manter sempre as informações atualizadas; não inventar mentiras só para querer impressionar; seguir os diretores ou pessoas influentes das empresas que deseja fazer parte; e sempre fortalecer o networking. As mídias sociais facilitaram muito o contato com qualquer pessoa, portanto, se souber usar essa ferramenta, tem grandes chances de conseguir o emprego dos sonhos”.

Os segmentos que mais costumam contratar através da rede social, sãoTecnologia & Telecomunicações, Educação, Recursos Humanos, Saúde e Bem Estar, Marketing, Construção e Finanças.

O gerente de Recursos Humanos da Griaule Biometrics, Nicolas Scaglione, 31, conta que apesar da página coorporativa ter apenas um ano, a repercussão das vagas anunciadas aumentou bastante. Segundo ele, a empresa recebeu currículos variados e isso talvez tenha atrapalhado o desempenho de outros candidatos. “- Embora a demanda seja grande, infelizmente muitas pessoas que não têm o perfil da empresa ou os que buscam profissões diferentes, se candidatam à vaga, ocultando possíveis candidatos em potencial”.

A iniciativa de se conectar ao mundo tecnológico e se adequar às mídias não são exclusivamente de empresas ou pessoas interessadas em conseguir um novo emprego. Todos estão convidados a aderir os novos recursos e se atualizar.

É o que a professora universitária Ivete Lacarini, 56, diz semanalmente aos seus alunos: “- Eu acredito que, no futuro, as pessoas serão contratadas de forma vestual, teremos mais home office (trabalhar em casa), e vamos desenvolver com mais ética e honestidade nosso trabalho, onde quer que seja. Vivemos em um mundo globalizado, estar na mídia é sobrevivência”.

Para criar seu perfil na rede social, basta acessar o site oficial do Linkedin. Vale a pena estar conectado e ficar ligado nas novidades do mercado.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Mayara Nascimento’s story.