Vítima

Eu gostei do seu não, dos seus vários “não”

De tanto “nãos” me acostumei com a minha própria companhia.

Cafés? Antes passo na biblioteca e pego um bom livro. Mas pensando bem, eu nunca leio livros no café, eu leio meus pensamentos.

Enquanto eu deixava de ser criança e me tornava um adolescente, eu sabia que enfrentaria muitos problemas deste tipo

Hoje, deixando de ser adolescente e virando um adulto, descobri que eu sou a minha própria resposta.

Ora, por que eu me jogo de cabeça nos relacionamentos se eu sei que eu não preciso de ninguém para ir comigo ao cinema?

A frase que agora passo a dizer para pessoas que já conheci mudou de “podemos nos ver de novo se você quiser, rs” para “você devia ter aproveitado naquela época”. Não é para ferir, é para curar.

Bom, acho que eu posso ir para um parque e deitar embaixo de uma árvore sem me preocupar em receber um cafuné.

Os “nãos” que eu recebi não foram exatamente um “não”, foram um sim do qual todos estiveram cientes da assinatura — Daquele que você sabe que vai acontecer algo ruim se o disser mas não pensa duas vezes em aceitar.

Toda estrela um dia apaga, todo sistema solar um dia esfria e bom, conforme a segunda lei da termodinâmica diz, toda a energia do universo está destinada a se igualar até não haver mais realização de trabalho. Então, acho que estamos quites.

É… eu tenho um rosto bonito, um corpo padrão, mas diferente do que você pensou, eu tenho um cérebro.
I got me, and that is all I need.
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.