Uma Guia de Cada Vez

Hoje eu percebi que cada vez menos presto atenção nas coisas que estou fazendo, principalmente online. No meu notebook, pelo menos cinco abas costumam estar abertas, e eu fico com o celular do meu lado apertando o display de cinco em cinco minutos para ver se chegou alguma notificação (nunca chega). Depois de refletir sobre isso e sobre muitas outras coisas, cheguei a uma triste conclusão.

Estou viciada.

O século XXI banalizou a maioria das coisas, como tarefas cotidianas como ler, ouvir música ou qualquer coisa do tipo. Reparei nisso enquanto pensava na palestra que tive mais cedo, no meu caminho de volta para casa. As músicas que tocavam no meu fone provavelmente virariam mais uma nos meus adicionados do Spotify. E depois de uma semana ou duas, eu estaria procurando por músicas novas (nota: tenho 2000 músicas baixadas).

Mas quando estou lendo um livro, por exemplo, costumo ouvir alguma coisa junto, e depois, eu não consigo mais escutar aquela música sem lembrar da história. De alguma forma, as coisas funcionam e não funcionam ao mesmo tempo.

Estou tentando diminuir a quantidade de coisas que faço ao mesmo tempo agora. Quem sabe assim as coisas saiam mais bonitas com mais concentração, com mais foco, só ao som de uma melodia tranquila. Quem sabe não.

Por enquanto, vou tentar viver uma guia de cada vez.

O quão viciado você está?