Como criar um filme mesmo sem ter muito dinheiro?

Eduardo Henrique 26/08

A palestra de produção de filmes com baixo orçamento, ministrada pelo diretor de criação audiovisual Gustavo Minho, aconteceu ontem (25) no segundo dia de atividades e oficinas do MeetCom 2016. O diretor e roteirista, co- fundador da produtora Muvk deu algumas dicas de como realizar seu próprio curta (ou longa) metragem evitando despesas e custo alto.

Selecionado para participar de festivais pelo mundo afora (especialmente o de Cannes) o produtor de Londrina, ajudou na realização de mais de seis filmes, tendo como seu primeiro projeto Junie (2015) no qual não teve custo algum de produção (exceto valor gasto para deslocamento e necessidades apontadas pelo diretor).

Umas das primeiras dicas do palestrante foi sobre ter uma temática, ideia central — a razão do ‘para quê’? Finalidade do filme a ser criado, pois a partir do momento em que o futuro produtor tiver a noção do foco que pretende questionar, todo o processo ficará mais claro e objetivo, facilitando as demais decisões não tão importantes.

Outra questão a ser levantada é a emoção — empatia — que o filme poderia gerar, capaz de despertar sentimento na pessoa, assim como nas palavras do próprio Gustavo “A arte pode afetar a gente” em referência ao significado de reproduzir, influenciar.

Além das dicas dadas no início do evento, o palestrante orientou o público a aprofundar a base teórica, o que é importante na hora de criar um conteúdo audiovisual. Ele também aconselhou a prática de leitura semiótica e a pesquisa de cineastas e seus primeiros filmes, pois a partir dos detalhes, a correção de decorrentes erros seria facilitada.

A base teórica não seria apenas a única, pois segundo Gustavo, a construção abstrata também é considerada importante ao estar sujeita a retratar a vida, como em um de seus curta-metragem, O Canto do Claustro — que por exemplo, trata a questão da depressão e ansiedade de forma subjetiva, conduzindo o telespectador a tirar suas próprias conclusões a partir de uma experiência pessoal e interpreta-las da maneira que achar melhor.

Após encerrar a noite, o roteirista ainda citou — Se uma coisa pode ser feita, ela pode ser bem-feita, encorajando os alunos e estudantes presente na palestra a criarem seus próprios projetos audiovisuais.

Eduardo Henrique
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.