Testamento Vital: 5 passos para criar o seu

A vida é o nosso bem mais precioso, e temos por lei o direito de vivê-la com dignidade. O mesmo prevalece para quando chegamos ao fim da linha. Também temos o direito de morrer com dignidade, decidindo e especificando a que tratamentos e cuidados permitimos nos submeter caso um dia nos tornemos incapazes de tomar decisões em virtude de moléstias incuráveis ou terminais.

Para garantir que nossas vontades sejam respeitas e que nossa partida seja digna, existe o testamento vital, documento feito juntamente com especialistas da advocacia e da medicina, onde declaramos quais são as nossas vontades antecipadamente. O registro e reconhecimento deste documento não só nos assegura o respeito às nossas decisões, como também poupa a família de ter que tomar essas decisões por nós num momento de tamanha desolação.

Tem interesse em fazer seu testamento vital? Então veja os cinco passos que preparamos no infográfico a seguir e oriente-se!

1 - Escolha um médico de sua confiança Ele deverá explicar sobre cada procedimento, suas possibilidades e consequências para que, assim, estabeleçam a quais procedimentos e cuidados você permite se submeter caso torne-se incapaz de tomar suas próprias decisões. 2 - Peça orientações a um advogado Além do médico, recorra a um advogado para certificar-se de que suas condições têm validade jurídica. 3 - Escolha alguém de sua confiança para ser seu procurador Essa pessoa precisa conhecer bem você e as suas vontades, pois assim será garantido que elas sejam seguidas. 4- Faça o registro do documento em um cartório de notas Essa é a garantia de que ele terá validade jurídica a partir do momento em que você não puder mais expressar suas vontades. 5 - Arquive o documento elaborado pelo advogado em um banco de testamentos vitais O arquivamento é gratuito, e as pessoas escolhidas por você também terão como acessá-lo por meio de uma senha quando necessário.

Gostou deste infográfico? Então, compartilhe com seus amigos e familiares, e colabore com a divulgação desta informação de utilidade pública. Em nossa próxima publicação, abordaremos a legitimidade do Testamento Vital e sua implantação no ordenamento jurídico. Fique conosco e acompanhe também nas mídias sociais!