Quem vê felicidade nas cores do céu não vê impossibilidades no mundo. Traz elas a uma paleta e logo colore seu dia ao seu próprio dispor, não se desencoraja às novas possibilidades e logo compõe um quadro para o seu dia. Pouco se importa com os cinzas em suas obras. Essa pessoa prosseguira com sua auto possessão ao longo do que for, ou não, criado. Quantos quadros foram feitos ao longo da sua vida e quantos deles foram chamuscados por uma onda benevolente dos desprazeres que as chuvas trouxeram ao seu céu? Isso não importa. Hoje é um novo amanhã, e o céu tornou-se limpo de novo. Deixe sua janela bem aberta. Vamos pintar um quadro? Eu gosto desse azul.